terça-feira, 14 de outubro de 2008

As fases da doença


As doenças desenvolvem-se segundo um processo gradual identificado pelo Ayurveda como as seis fases da doença, ou Samprapti. (significa patogênese, ou surgimento da doença).

A primeira fase é a do acúmulo, nela o corpo vai se depauperando em alguma área ou função, devido aos excessos ou incongruências de nossos hábitos e escolhas. A futura doença encontra-se incubada no organismo. O humor (dosha) afetado começa a aumentar em determinada área do corpo, geralmente no estômago, no intestino delgado ou no cólon intestinal. Muitas são as possibilidades da causa do acúmulo, as mais usuais são as rotinas desgastantes, a alimentação inadequada, os vícios, a tensão mental, as mudanças de clima etc... No caso de uma pessoa de humor Vata podem ocorrer constipações, gases, distensões abdominais, medo, fadiga, secura, entre outros.

No segundo momento ocorre o agravamento, ficam mais intensas as manifestações de desequilíbrios da fase anterior, gerando sinais de mau funcionamento do organismo em áreas específicas. A pessoa com o vayu em desequilíbrio apresentará dores e espasmos abdominais ou cólicas menstruais mais intensas, gases e barulhos nos intestinos e leves dores de cabeça.
Seria a fase mais fácil para se cortar o mal pela raiz, porém por não passarem de alterações superficiais que normalmente não damos a menor atenção, acabamos por negligenciar os sinais e buscamos soluções paliativas que levam a progredir para a nova fase.

Agora, na terceira fase, a do transbordamento, o corpo está contaminado com a disfunção de forma geral, os tecidos ficam fracos e os órgãos afetados convalescidos, o humor que se encontra em desequilíbrio passa a se espalhar pelo corpo por diversos canais, tais como a circulação sanguínea e o sistema linfático.
Nessa etapa surgem doenças consideradas menos graves e que não associamos a nada do que fazemos. Dores nas articulações, dor de cabeça constante, constipação, diarréias, conjuntivites, inflamações na pele, vômitos, muco nas fezes etc...
Tomamos um remédio pontual e consideramos que o corpo está limpo, quando na verdade está mostrando sinais de uma crônica saturação de elementos que estão retirando seu equilíbrio.

Segue a fase da dispersão da doença, onde ocorre uma realocação da doença em outras áreas do corpo, além do agravamento do curso dos sintomas que já vinham se manifestando. As áreas enfraquecidas do organismo que a princípio em nada se correlacionam com a disfunção principal são as novas regiões a serem atingidas. Neste momento, podemos visualizar a doença na sua configuração tradicional e sua manifestação fica mais freqüente. O plasma e o sangue estão contaminados com a disfunção, mesmo que se trate o órgão que manifesta a forma principal da patologia o organismo está em descompasso e contaminado, e voltará a manifestar o mesmo problema ou outro similar em questão de meses.

A seguir a doença não deixa dúvidas, é a fase de sua consolidação ou manifestação. Nesse estágio os sintomas clínicos são inconfundíveis, o desequilíbrio ganha força e se condensa de maneira específica, o diagnóstico fica fácil e o problema materializado em exames laboratoriais.

Por último se dá a fase da diversificação, onde a doença torna-se crônica causando mudanças patológicas nos tecidos do corpo de forma permanente, atrofias e hipertrofias são comuns, além do que a doença busca novas formas de se manifestar, já que comprometeu seu canal de expressão inicial, o órgão que adoece primeiro.
O humor afetado se apresenta com todas as características de suas alterações combinadas ao distúrbio do órgão afetado, ou seja, se o humor Vata for o dosha desequilibrado e a área afetada for, por exemplo, a do joelho, ocorrerão várias manifestações Vata por todo o organismo, mas na área do joelho o distúrbio sera mais evidente podendo ser diagnosticada uma doença como a artrite, onde além dos sintomas típicos da artrite, poderemos constatar sintomas em várias partes do corpo tais como, dor aguda, sensações de frio, rigidez, pele seca e constipação.

3 comentários:

Manu disse...

Oi laura, estou adorando seus posts, acompanho todos os dias. Muito interessante!

beijinhos

Fernanda disse...

Muitoo legal esta visão do Ayurveda.
Fico feliz em saber destas informações...Obrigada

bjs
Fernanda

Adriana disse...

Oi Laura!

Acabei de conhecer o teu blog, através de um link no blog da Manu, e achei interessantíssimo! Meus parabéns pela sua iniciativa em divulgar e desmistificar o Ayurveda, uma medicina tão rica e que pode nos ajudar tanto! Conheci um pouco mais depois que comecei a praticar Yoga e agora adorei conhecer a tua experiência! Voltarei aqui mais vezes, sem dúvida!

Bjos e tudo de bom para vc!