sexta-feira, 30 de maio de 2008

Medicina Ayurvédica


Ayurveda significa conhecimento da vida (ayur=vida, veda=ciência ou conhecimento). É a ciência da saúde mais antiga da humanidade possuindo mais de 5000 anos de existência. A medicina Ayurvédica é parte da ciência védica e utiliza na sua abordagem terapêutica plantas medicinais, dieta, exercícios físicos, meditação, yoga, massagens, etc.
É uma forma de medicina sobretudo preventiva, ainda que também seja eficiente ao curar.
Pelo Ayurveda temos uma constituição, e esta é determinada pelos doshas (qualidades) na nossa concepção, e cada indivíduo nasce com um dosha predominante. A nossa saúde mantém-se enquanto os três doshas estiverem equilibrados.
Sem compreender a nossa constituição particular, a nossa saúde enfraquece e prevalece a doença. A Ayurveda reconhece os tipos individuais e ajuda-nos a entender as nossas particularidades, as nossas tendências. Cada um de nós possui uma constituição única determinada pelo equilíbrio de três energias vitais existentes no corpo, conhecidas como os três doshas – Vata, Pitta e Kapha.
Mas ao longo da nossa vida, a dieta, o meio ambiente, o stress, os traumas fazem com que os doshas se desequilibrem podendo assim gerar a doença.

A visão da medicina ocidental sobre EM

A Esclerose Múltipla é uma das doenças mais comuns do SNC (Sistema Nervoso Central: cérebro e medula espinhal) em adultos jovens. De causa desconhecida, é caracterizada como doença desmielinizante, pois lesa a mielina, prejudicando a neurotransmissão. A mielina é um complexo de camadas lipoproteicas formado no início do desenvolvimento pela oligodendroglia no SNC, a qual envolve e isola as fibras nervosas (axônios), permitindo que os nervos transmitam seus impulsos rapidamente, ajudando na condução das mensagens que controlam todos os movimentos conscientes e inconscientes do organismo.
Na Esclerose Múltipla, a perda de mielina (desmielinização) interfere na transmissão dos impulsos e isto produz os diversos sintomas da doença. Descobertas recentes indicam que os axônios sofrem dano irreversível em consequência do processo inflamatório, o que contribui para uma deficiência neurológica e, a longo prazo, para a invalidez. Os pontos onde se perde mielina (placas ou lesões) surgem como zonas endurecidas (tipo cicatrizes), que aparecem em diferentes momentos e zonas do cérebro e da medula espinhal. Literalmente, Esclerose Múltipla, significa episódios que se repetem várias vezes.
Não existe cura para a Esclerose Múltipla. No entanto, muito pode ser feito para ajudar as pessoas portadoras de Esclerose Múltipla a serem independentes e a terem uma vida confortável e produtiva. (Fonte: Abem)

quinta-feira, 29 de maio de 2008

Um pouco da minha história

Em abril de 2006 tive um diagnóstico de desmielinização do sistema nervoso (esclerose múltipla), pois estava com perda de visão no campo visual de ambos os olhos, fotofobia, dificuldades de locomoção nas pernas, insensibilidades, perda de reflexo, tremores, formigamentos e outros sintomas.
Os médicos disseram que não havia cura e que poderia não recuperar mais a visão haja vista que não havia tomados os remédios a tempo (corticóide intravenoso).
Diante da piora no quadro resolvi ir ao Kerala no sul da Índia fazer tratamento Ayurvédico. Após 21 dias de panchakarma (procedimentos da medicina ayurvédica) estava com quase toda visão recuperada, mas fiquei ainda com muitas dificuldades na parte motora, fraqueza e cansaço visual.
Voltei ao Brasil, e por alguns meses ainda apresentava dificuldades de força, sem conseguir ficar em pé algum tempo, com os outros sintomas persistindo moderadamente.
No decorrer de dois anos, tive uma resposta surpreendente, através das orientações ayurvédicas aliadas a yoga específica, dieta restrita e pranayamas (técnicas respiratórias).