quinta-feira, 30 de outubro de 2008

Ghee



Como falei anteriormente, alguns produtos oriundos da vaca são utilizados tanto para a alimentação como para as terapias ayurvédicas.

O ghee, por exemplo, é uma manteiga clarificada, semelhante a manteiga de garrafa produzida no Nordeste brasileiro. Em sua preparação, toda água e os elementos sólidos da manteiga são removidos pelo aquecimento lento e contínuo, até que reste somente um óleo de cor amarelo-âmbar e aroma refinado.

O Ghee tem propriedades emolientes e serve de base em técnicas de massagens, pois nutre tecidos profundos, sendo muito bom para peles secas e para prevenir rugas.

O Ghee ajuda a equilibrar os doshas. Também é extremamente benéfico para o fígado, útil para inflamações gastrointestinais e no combate a úlceras. Ajuda a equilibrar o Agni, que é o fogo digestivo no organismo.

O Ghee ainda fortalece o sistema imunológico, ajuda no tratamento de problemas nos pulmões, ajuda a melhorar a memória e é utilizado em algumas técnicas para refrescar e nutrir os olhos. E realmente funciona.

Tive esta experiência, pois durante o tratamento na Índia, ficava todos os dias com os olhos embebidos no ghee, por quinze minutos. ( explicarei em outro post esta terapia).

Hoje, para manter a lubrificação do olho ou quando estou com a vista muito cansada, devido ao excesso do uso do computador, coloco duas gotas de ghee e imediatamente qualquer desconforto é aliviado.

Ele é um ótimo purificador dos canais e condutos do organismo. Além disso, a Ayurveda ensina que o Ghee ajuda a desenvolver o sentimento de amorosidade, compaixão e contentamento nos indivíduos.

No seu dia-a –dia, você pode substituir todos os óleos, manteigas e margarinas pelo ghee. E em alguns meses perceberá os benefícios no seu corpo.

Quer saber como fazer? Mesmo sendo um processo demorado vale a pena, pois os benefícios são extraordinários.


Ingredientes: 2 quilos de manteiga de leite de vaca sem sal

Modo do preparo:
Em uma panela de aço com fundo bem grosso ou de alumínio bem grossa, despeje a manteiga. Aqueça-a até a fervura; abaixe o fogo, que deve ser mantido constante e sempre baixo, até o final da purificação da manteiga. Com uma escumadeira, vá retirando a espuma, sempre tomando cuidado para não queimar o fundo.
Depois de cerca de uma hora e meia (o tempo dependerá de quanta água e impurezas a manteiga tenha), não haverá mais espuma sobre o óleo. A manteiga transforma-se em um óleo de cor âmbar dourado, transparente. Passe o óleo por uma peneira de aço bem fina ou coe em um coador novo de pano e guarde o óleo em vidros com tampa larga.
O ghee pode ser armazenado sem refrigeração, solidificando com a perda da temperatura.

Muita saúde a todos

terça-feira, 28 de outubro de 2008

Alimentação


Realmente cuidar da alimentação é muito importante.

No meu caso percebi que tudo aquilo que comia estava diretamente relacionado com meus sintomas. Não imaginava o quanto a alimentação estava agravando meu estado de saúde.

Acreditava que por ser vegetariana, tinha uma dieta equilibrada e saudável, mas estava totalmente equivocada.

Logo que os sintomas foram se agravando (câimbras constantes nos braços e pernas, formigamentos, insensibilidade até mesmo na língua, visão borrada, dificuldades de ficar em pé, tremores,.........) comecei a buscar alternativas diferentes daquelas ditas pelos médicos.

Todos os médicos que consultei, falavam que não precisava fazer nenhum tipo de dieta, que poderia comer tudo normalmente.... Muito estranho, não acreditei muito nisso e passei a pesquisar sobre o assunto.

Depois de testes com outras dietas para E.M, e após a decisão de me tratar com o Ayurveda, descobri que realmente os alimentos errados estavam piorando minha saúde.

Após passar pelo processo de desintoxicação do corpo, chamado Panchakarma, no Ayurveda, comecei a perceber as reações de tudo aquilo que comia. E foi fantástico...... Claro que passei por momentos de desespero, tanto por ter que me privar de muitos alimentos, assim como sentir de maneira forte, as consequências dos alimentos errados para o meu corpo.

Hoje, ainda sigo uma dieta bem restrita dentro do Ayurveda, mas que aos poucos está sendo ampliada, devido ao meu bom estado de saúde.

Mesmo as pessoas com 'saúde perfeita" devem ter restrições a fim de evitar o surgimento de problemas futuros.
Saúde a todos


Alimentação ayurvédica



A alimentação é a base do Ayurveda .É a principal condição para a eficácia completa, tanto na prevenção como no tratamento de doenças.

A dieta deve ser individualizada, levando em conta a constituição, dosha, de cada pessoa, o clima do local onde a pessoa mora, o trabalho, o ritmo de vida e outras influências externas e internas.


No ayurveda, a digestão dos alimentos é o fator mais importante na dieta, pois para o organismo funcionar direito, é preciso ter um bom fogo digestivo.

As toxinas se acumulam no trato digestivo e extravasam os tecidos, especialmente a pele. E uma boa digestão ajuda a evitar o acúmulo destes elementos prejudiciais ao organismo.

Para eliminar as toxinas, o indivíduo deve ter o fogo digestivo saudável, uma boa evacuação e uma alimentação adequada.

Para melhorar o fogo digestivo, promover a formação das enzimas necessárias a uma digestão saudável é essencial que os alimentos sejam preparados com ervas e especiarias que estimulem este processo, como: coentro, cominho, hortelã, canela, pimenta do reino, cravo, açafrão, noz de moscada e cardamomo.

Mas a escolha adequada dos alimentos também é muito importante, e é um fator decisivo quando já estamos com alguma doença instalada.

Para Vata, a dieta ideal por é composta de carboidratos tipo cereais (arroz, aveia, trigo, quinua), oleaginosas (castanha, amêndoas, gergelim, linhaça), frutas doces como abacate e banana e papaia, vegetais sempre cozidos al dente, laticínios e chás de erva-doce. Deve-se optar também pelo consumo de leguminosas, tipo feijão moyashi e lentinha vermelha. Recomenda-se também evitar o consumo de repolhos, couves e vegetais crus, pois aumentam os gases,assim como as frutas secas. O uso de azeites, óleo de gergilim e ghee é essencial e de extrema importância, pois diminuem o ressecamento da pele, dos cabelos e principalmente do intestino, evitando assim a constipação.

Para Pitta, , os alimentos benéficos são cereais, como arroz, trigo e cevada, e as frutas doces. Vegetais como abobrinha, abóbora, espinafre, chicória, aspargos, brócolis, couve-flor, bem como sementes (girassol, coco, abóbora) são boas opções no cardápio. Leguminosas (feijões, lentilhas) são muito recomendadas, bem como óleos de coco e girassol. Deve-se preferir o leite de cabra, diminuir o consumo de vegetais picantes (rabanete, pimentão), frutas ácidas, carnes, oleaginosas (castanhas e gergelim) e pimentas.

Para Kapha, recomenda-se as frutas adstringentes (maçã, damasco e pêra) e secas (uva, ameixa, damasco), vegetais picantes e amargos, cereais (aveia e cevada), sementes e leguminosas tipo feijão azuki e lentinha vermelha. Consumir com moderação laticínios, carboidratos, açúcares, oleaginosas (castanhas), carnes e principalmente sal, pois aumentam a letargia, produção de muco e retenção de líquidos.
Mas não esqueça de procurar um especialista para definir a sua alimentação, já que você poderá agravar sua saúde, se combinação e escolhas forem erradas.

domingo, 26 de outubro de 2008

Vaca sagrada


Na Índia, onde quer que você vá, lá estão elas. Na calçada, nos templos, no meio da rua, na porta das casas e restaurantes, na areia da praia e onde mais você imaginar encontrará este sagrado animal: a vaca. Para os hindus, ela simboliza a maternidade, a fertilidade, a esperança, a alegria e a criação da vida.

As vacas passeiam tranquilamente pelas cidades e vilas sem que sejam minimamente importunadas pelos habitantes, incluindo quando as manadas invadem as praças, onde comem os legumes dos produtores, sem que estes mostrem qualquer hostilidade para com o gado bovino.

É ela quem dá alimento e remédio para todos os seres humanos. Sabem como?
Os cinco produtos da vaca: leite, manteiga, esterco, coalho e urina são vistos como purificadores nos rituais. Além disso a urina é usada como agente de limpeza e o esterco seco é usado como combustivel para o fogo.

Já o leite, a manteiga (ghee) e o coalho(queijos e iougurte) são a base da alimentação vegetariana e ainda são utilizados na fabricação de poderosos remédios.

O Ghee , por exemplo, é uma manteiga clarificada, muito utilizada na culinária indiana e que serve também para tratar inúmeras patologias, como problemas gástricos e visuais.

A vaca, portanto, não é tratada com um Deus e sim com reverência, pois dá como presente divino, vários produtos para nossa saúde e bem estar.

sexta-feira, 24 de outubro de 2008

Terapias ayurvédicas


Existem diferentes tipos de terapias que são aplicadas pelo Ayurveda. Elas são dividas em dois grupos: tonificação e redução. Na tonificação ocorre a nutrição do corpo, e terapias mais suaves são recomendadas. Na redução ocorre a limpeza ou desintoxição do organismo, nela os processos são mais profundos.
As terapias de tonificação são indicadas para doenças crônicas ou após a realização de métodos de redução. A regra usual é que deve-se primeiro reduzir as toxinas do corpo para depois tonificá-lo. Pois, ao se nutrir o corpo sem reduzir as toxinas, estas irão se unir aos medicamentos e aos alimentos ingeridos, gerando mais acúmulo e agravando o estado de saúde do paciente. Essas terapias são também chamadas de “agradáveis” e priorizam a boa alimentação, cuidados, relaxamento e tranquilidade.
As terapias de redução são indicadas para a fase aguda da manifestação das doenças. São importantes pois reduzem e eliminam as toxinas profundas do corpo que são geradas pela ingestão de alimentos errados, remédios, “emoções guardadas”, etc... São também chamadas de “desagradavéis”, porque incluem uma prática de disciplina rígida quanto à alimentação, exercícios e mudança de comportamentos, além das terapias de pacificação e purificação do corpo, que consistem em procedimentos como enemas, purgações, vomitos, limpezas do sangue, etc...
No próximos posts vou descrever melhor cada uma dessas terapias...

Paz e conhecimento a todos.

quarta-feira, 22 de outubro de 2008

Documentário Ayurveda - Pan Nalin

Este final de semana tive a oportunidade de ver o filme "Ayurveda: El Arte de vivir" de Pan Nalin. Fiquei extremamente emocionada, pois o filme é fantástico e mostra de maneira clara e bela os poderes da medicina indiana. Pan Nalin também fez o filme Samsara (2001) que muita gente já conhece e está disponível em locadoras.







Vejam o trailler abaixo:

( Desculpe a imagem abaixo, mas o único link que não é em inglês, foi editado com esta imagem e acaba assustando. Mas pode clicar, é o documentário de Ayurveda com audio em espanhol)




terça-feira, 21 de outubro de 2008

Namastê


Namaste ou namaskar é uma forma de saudar as pessoas no Oriente, principalmente na Índia e Tailândia . Onde quer que estejam – na rua, em casa, no transporte público, no trabalho utilizam esta saudação para começar ou encerrar um encontro.

A palavra Namaste (pronuncia-se Namastê) é composta de duas palavras sânscritas: Nama (reverência, saudação) e Te, que significa você.

Namastê significa “ a minha essência saúda a sua essência".

É a forma mais pura e digna de cumprimento entre as pessoas.

Os cinco dedos da mão esquerda representam os cinco sentidos do karma, enquanto os da direita representam os cinco órgãos do conhecimento.

Significa então que mente e coração devem estar em harmonia, para que nosso pensar e agir estejam de acordo com o nosso caminho mais puro durante a vida.
É um gesto de pureza que reflete na nossa saúde.

domingo, 19 de outubro de 2008

Doshas - Sua constituição


Para entender melhor seu dosha veja mais algumas características que determinam cada um deles. Após fazer o teste no link: http://caminhoindia.tripod.com , você pode conferir melhor suas características mais marcantes e as doenças mais freqüentes de apresentar.

VATA: Possui estrutura física baixa ou muito alta, magreza e fraco desenvolvimento físico com veias e ossos proeminentes. Dificuldade para ganhar peso. Com uma mente rápida, indecisa, abstrata e abrangente. Costuma apresentar voz fraca e rouca, devido à timidez. Tem tendência de desenvolver sentimentos de medo, ansiedade e nervosismo. Fica doente com freqüência, desenvolve problemas psicossomáticos e inúmeros problemas nervosos. Tem grande sensibilidade à dor e está constantemente com os pés e mãos frios.


PITTA – As pessoas com este dosha predominante possuem estrutura física mediana, bom desenvolvimento muscular e com peso moderado. Possuem voz alta, nítida e autoritária. Com uma mente inteligente, penetrante, crítica, perspicaz, mas são muito desconfiados. Têm tendência a desenvolver sentimentos de raiva, irritabilidade e inclinação à controvérsia. Quando ficam doentes apresentam com maior freqüência infecções ou inflamações, febre, sangramento, diarréia, problemas de pele, sensação de queimação.

KAPHA – As pessoas deste dosha apresentam um corpo robusto, troncudo, bem desenvolvido e tendem facilmente à obesidade. São pessoas extremamente lentas, firmes e sentimentais. Com uma voz agradável, profunda e melodiosa. São muito calmas, desenvolvem com facilidade sentimentos de contentamento e apego. Quando doentes apresentam com maior freqüência tosse com muco, problemas respiratórios, edemas, obesidade, gripes, cistos e obstruções.


quinta-feira, 16 de outubro de 2008

Decisão de ir para Índia - Parte 2

(Foto: Taj Mahal. 2005 )

Tomar a decisão de viajar durante quase 24 horas de avião, ir para o outro lado mundo, foi muito difícil. Contrariar família, amigos, conhecidos, desconhecidos foi ainda mais. Ninguém queria me apoiar, achavam que eu e meu marido estávamos malucos em abandonar todo o aparato médico que tínhamos em prol de algo desconhecido e em um país considerado miserável e imundo.

Apresentava muitos sintomas da E.M, como formigamentos, fadiga, problemas na visão, dificuldades de locomoção, tremores, nevralgia, rigidez em um dos braços, constipação ...... Impressionante, mas sentia tudo isso junto. Nem sei mais como estava conseguindo viver deste jeito. Mas para o ayurveda, estava com um grande desequilíbrio no dosha Vata, e alguns reflexos no dosha Pitta, já que minha visão estava bem comprometida.

Diante deste quadro, não via muitas expectativas com os médicos aqui no Brasil, resolvi fazer um "teste" e tentar algo novo e diferente, não sabia das reais possibilidades do Ayurveda, se ele previa cura ou não, mas também não estava disposta a me entregar aos remédios alopáticos e à pulsoterapia, já que os efeitos colaterais são enormes e a chance de cura é zero.

Antes de ir para Índia, fiz uma tentativa no Brasil, com especialistas em Ayurveda. Realmente serviu para me dar convicção que funcionava, mas devido à inexperiência, com doenças mais sérias, dos profissionais que naquele momento conhecia, o resultado não foi tão bom quanto poderia.

Chegando lá, me deparei com um autêntico hospital ayurvédico, com suas terapias e medicamentos feitos de maneira precisa, correta e com muita seriedade e que explicarei com mais detalhes nos próximos posts.

Muito conhecimento e paz a todos.

terça-feira, 14 de outubro de 2008

As fases da doença


As doenças desenvolvem-se segundo um processo gradual identificado pelo Ayurveda como as seis fases da doença, ou Samprapti. (significa patogênese, ou surgimento da doença).

A primeira fase é a do acúmulo, nela o corpo vai se depauperando em alguma área ou função, devido aos excessos ou incongruências de nossos hábitos e escolhas. A futura doença encontra-se incubada no organismo. O humor (dosha) afetado começa a aumentar em determinada área do corpo, geralmente no estômago, no intestino delgado ou no cólon intestinal. Muitas são as possibilidades da causa do acúmulo, as mais usuais são as rotinas desgastantes, a alimentação inadequada, os vícios, a tensão mental, as mudanças de clima etc... No caso de uma pessoa de humor Vata podem ocorrer constipações, gases, distensões abdominais, medo, fadiga, secura, entre outros.

No segundo momento ocorre o agravamento, ficam mais intensas as manifestações de desequilíbrios da fase anterior, gerando sinais de mau funcionamento do organismo em áreas específicas. A pessoa com o vayu em desequilíbrio apresentará dores e espasmos abdominais ou cólicas menstruais mais intensas, gases e barulhos nos intestinos e leves dores de cabeça.
Seria a fase mais fácil para se cortar o mal pela raiz, porém por não passarem de alterações superficiais que normalmente não damos a menor atenção, acabamos por negligenciar os sinais e buscamos soluções paliativas que levam a progredir para a nova fase.

Agora, na terceira fase, a do transbordamento, o corpo está contaminado com a disfunção de forma geral, os tecidos ficam fracos e os órgãos afetados convalescidos, o humor que se encontra em desequilíbrio passa a se espalhar pelo corpo por diversos canais, tais como a circulação sanguínea e o sistema linfático.
Nessa etapa surgem doenças consideradas menos graves e que não associamos a nada do que fazemos. Dores nas articulações, dor de cabeça constante, constipação, diarréias, conjuntivites, inflamações na pele, vômitos, muco nas fezes etc...
Tomamos um remédio pontual e consideramos que o corpo está limpo, quando na verdade está mostrando sinais de uma crônica saturação de elementos que estão retirando seu equilíbrio.

Segue a fase da dispersão da doença, onde ocorre uma realocação da doença em outras áreas do corpo, além do agravamento do curso dos sintomas que já vinham se manifestando. As áreas enfraquecidas do organismo que a princípio em nada se correlacionam com a disfunção principal são as novas regiões a serem atingidas. Neste momento, podemos visualizar a doença na sua configuração tradicional e sua manifestação fica mais freqüente. O plasma e o sangue estão contaminados com a disfunção, mesmo que se trate o órgão que manifesta a forma principal da patologia o organismo está em descompasso e contaminado, e voltará a manifestar o mesmo problema ou outro similar em questão de meses.

A seguir a doença não deixa dúvidas, é a fase de sua consolidação ou manifestação. Nesse estágio os sintomas clínicos são inconfundíveis, o desequilíbrio ganha força e se condensa de maneira específica, o diagnóstico fica fácil e o problema materializado em exames laboratoriais.

Por último se dá a fase da diversificação, onde a doença torna-se crônica causando mudanças patológicas nos tecidos do corpo de forma permanente, atrofias e hipertrofias são comuns, além do que a doença busca novas formas de se manifestar, já que comprometeu seu canal de expressão inicial, o órgão que adoece primeiro.
O humor afetado se apresenta com todas as características de suas alterações combinadas ao distúrbio do órgão afetado, ou seja, se o humor Vata for o dosha desequilibrado e a área afetada for, por exemplo, a do joelho, ocorrerão várias manifestações Vata por todo o organismo, mas na área do joelho o distúrbio sera mais evidente podendo ser diagnosticada uma doença como a artrite, onde além dos sintomas típicos da artrite, poderemos constatar sintomas em várias partes do corpo tais como, dor aguda, sensações de frio, rigidez, pele seca e constipação.

sábado, 11 de outubro de 2008

O que nos adoece


Um dos princípios básicos do Ayurveda é o que não há apenas um tipo de ser humano, portanto a saúde não é uma receita única.

No Ayurveda não há prescrições generalistas. As doenças podem até ser denominadas de uma única maneira, mas a manifestação é bem diferente para cada tipo de pessoa. Por exemplo: pode-se desenvolver um resfriado Pitta, Kapha ou Vata (os sintomas são diferentes), e o tratamento será diferenciado para cada um.

Para o Ayurveda existem quatro fatores que quando interagem inadequadamente com o homem podem formar doenças, seja pelo excesso, pela insuficiência ou pelo uso inapropriado.
São eles: as condições climáticas de onde vivemos, as nossas rotinas, o ambiente de trabalho ou familiar, e por último a alimentação.

Estes fatores vão de acumulando e acabam por desequilibrar nosso organismo, é assim que desenvolvemos a maioria das patologias. Nosso corpo dá sinais, mas ignoramos, ou até mesmo não percebemos, achamos que é um problema passageiro, e quando vemos mais à frente uma doença está a nos incomodar.

Não ficamos doentes de um dia para o outro. As doenças vão se manifestando aos poucos e negligenciamos os sinais em detrimento a outras prioridades do dia-a-dia. Quando já estamos debilitados queremos a cura rapidamente, buscamos um remédio ou uma cirurgia rápida, mas ignoramos as causas.

Acreditar em terapias, dietas, remédios, cirurgias que dizem solucionar o seu problema de maneira rápida pode ser pura ingenuidade, pois o processo de restabelecimento tem seu tempo, assim como teve o processo de adoecimento.

Muita SAÚDE a todos!!!

Elefantes


Em 2005 quando estive pela primeira vez na Índia a passeio, tive a oportunidade de conhecer muita coisa interessante deste país. Não imaginava que seria tão útil para minha vida!!!
Esta foi uma das primeiras cenas com elefantes que tive oportunidade de presenciar no Kerala, sul da Índia. Nas cidades do interior do Kerala é comum ver elefantes pelas ruas junto de seus donos.

A população de elefantes na Índia (dados do censo de 2002) é de estimada entre 10000 a 15000. Sendo que a maioria vive no nordeste da Índia, principalmente em Assam.

Os elefantes são usados normalmente em cerimônias religiosas no país. Com freqüência são cobertos de pinturas e adornos.

Os defensores dos direitos dos animais denunciam que os animais são mantidos às vezes em condições deploráveis.

quinta-feira, 9 de outubro de 2008

Dra Kousmine

(Foto retirada do livro "Votre alimentation selon l'enseignement du Dr Kousmine")


Logo que tive o diagnóstico, eu e meu marido começamos a pesquisar tratamentos e opiniões para tentar decidir qual o melhor caminho a ser tomado.
Dentro das inúmeras propostas que nos foram apresentadas, a maoiria delas pura ilusão. Por outro lado, Tivemos a chance de conhecer estudos muito importantes e sérios. Dentre eles, conhecemos o método da Dra. Catherine Kousmine , uma médica que trabalhou até seus 85 anos de idade na pesquisa e no tratamento de doenças graves (esclerose múltipla, câncer, artrite reumatóide, etc). Além disso publicou três livros, sendo um deles : La sclérose em plaques est guérissable?, 1983. ( Esclerose múltipla é curável?).
O método da Dr. Kousmine é muito eficiente e se assemelha em muitos pontos com a medicina ayurvédica.
Os dados das pesquisas da Dr. Kousmine relatam a melhora de diversas pessoas, assim como a cura, mas é claro, deve ter um empenho constante do paciente. Um ponto muito importante, pois já conversei com várias pessoas com EM e todas elas se mostraram sem disposição, conformadas com sua situação e que acreditando que não vale a pena fazer esforços, pois se definem como incuráveis. É uma pena, pois não estão assumindo a si mesmas e delegando sua vida para outros.
O método da Dra. Kousmine é baseado em uma dieta rígida, limpezas intestinais, consumo de óleo de girassol, entre outros.
Algumas pessoas no Brasil tiveram o prazer de receber estes conhecimentos de uma médica que trabalhou com a Dra. Kousmine. Conversei com algumas destas pessoas e me relataram que tiveram uma melhora muito significativa e impressionante. Mas, infelizmente, devido ao apelo social do consumo desenfreado, resolveram parar a dieta, pois queriam compartilhar a vida “normal”, ou seja, comer enlatados, processados, carnes, beber, fumar e tiveram que passar a conviver com novos surtos e seqüelas. Foi a opção que fizeram, e de maneira consciente. Uma delas chegou a me dizer: “O método Kousmine foi muito importante na minha vida. Durante dois anos não senti absolutamente nada, tinha uma vida normal. Mas como queria ir a restaurantes, comer tudo à vontade, abri mão do meu bem estar físico. Hoje tenho que andar de muletas e não enxergo com o olho esquerdo, mas prefiro assim......”

Maiores informações:

segunda-feira, 6 de outubro de 2008

Nada de Milagres


Tenho recebido muitos e-mails por causa do blog. Percebo que as pessoas, quando desconhecem algo ou não acreditam em alguma coisa, preferem atribuir o sucesso a explicações do tipo milagrosas, fé ,espiritual ou coincidências. É claro que o empenho e a força de vontade do paciente ajuda, mas se a medicina é falha ou gera outros problemas devido sua metodologia, não há muita relevância.
Mas neste caso, posso afirmar categoricamente, que o Ayurveda, não tem nada de fé , milagres, espiritual ou fica sujeito à pura vontade do paciente se curar. É uma medicina muito bem fundamentada e coerente. Os tratamentos apesar de curiosos e totalmente diferentes para a nossa concepção ocidental são extremamente eficazes e atingem o problema na sua raiz.
Sempre fui uma pessoa muito racional e crítica e avessa a tudo aquilo sem muito fundamento cientifico. Acredito no ayurveda não porque me ajudou, mas porque percebi nele uma forma de realmente prevenir e CURAR as doenças, o que não via com a medicina ocidental, para os casos de saúde graves na minha família.
Por isso, resolvi escrever este blog, para desmistificar a Índia e sua medicina. Mostrar aos ocidentais que há muito o que aprender e conseqüentemente desfrutar de uma sabedoria tão poderosa e eficiente.
A medicina Ayurvédica é reconhecida pela OMS, é uma ciência que exige assim como no Brasil, 6 a 8 anos de faculdade , além de residência médica em hospitais. Não só na Índia com também no Sri Lanka o Ayurveda é a medicina oficial, e trata nada menos que uma população de aproximadamente 1 bilhão de habitantes.
Hoje o turismo médico na Índia é o que mais cresce no mundo. As grandes empresas americanas, mandam seus funcionários para lá, a fim de realizarem tratamentos de saúde, pelo fato de serem mais eficazes, terem ótimos resultados e um preço muito acessível.
Por tanto antes de definir o ayurveda como uma simples terapia alternativa, é melhor antes conhecê-la e estudá-la, assim como analisar os resultados de quem passou por esta experiência.

Muita paz e conhecimento a todos.

domingo, 5 de outubro de 2008

Decisão de ir para Índia - Parte I


Muitas pessoas me perguntam porque fiz a decisão de me tratar na Índia. Fazer esta escolha não foi uma tarefa fácil, já que o pensamento e costumes da sociedade têm um peso grande nas nossas escolhas.
Mas diante da situação, um diagnóstico que para os médicos ocidentais não haveria muito o que fazer, já que eles desconhecem uma cura e um tratamento realmente eficaz, resolvi ir em busca de uma medicina milenar que cuida do ser humano como um todo.
Além disto, já estava cansada dos constantes erros e tropeços da medicina. Exames errados, clínicas de diagnóstico, consideradas de alto padrão, com atendimentos péssimos, funcionários mal preparados e médicos extremamente insensíveis e inseguros.
E ainda, não aceitava a afirmação dos médicos, que insistiam e ainda insistem em dizer que estava com uma doença incurável. Mas como? Doença incurável? Como podem afirmar isto, se nem mesmo eles, sabem como a doença surge e como se manifesta? Como podem dizer que não ficaria curada, sem nem mesmo eles têm certeza de nada?
Quem disse que os remédios e terapias por eles indicados é a melhor opção, já que são baseadas em esperanças e não em relatos de definitiva melhora? Ou melhor são indicados, pelo que vejo, apenas para diminuir os efeitos e sintomas da doença e não o que gera ela. Portanto, não estava disposta a ser “cobaia” de ninguém, já que não concordava com as afirmações e comentários.
Enquanto isso, um médico indiano, do sul da Índia, afirmava categoricamente que podia ir para lá, que ficaria bem desde que seguisse todas as orientações durante a internação e após o retorno ao Brasil. E assim em Maio de 2006 fui rumo a Índia, buscar de volta minha saúde, mas acabei encontrando muito mais do que isto, encontrei um caminho para atingir minha essência e tornar a minha vida e daqueles ao meu redor muito melhor.

sexta-feira, 3 de outubro de 2008

Descubra seu dosha


Para você descobrir seu dosha é necessário que você tenha acesso a um médico ayurvédico com grande experiência, pois a melhor maneira de se detectar o dosha e os desequilíbrios é através da análise do pulso e da língua do paciente. Mas como no Brasil é muito difícil encontrar alguém com este gabarito, a maneira mais prática e rápida de se descobrir o seu dosha é através de um questionário.

O resultado do questionário, em alguns poucos casos, não necessariamente apontará o seu dosha predominante, pois você pode estar com um desequilíbrio grande e apresentará comportamentos diferentes dos que usualmente seriam manifestados por você.

Para fazer o teste basta clicar no seguinte link : http://caminhoindia.tripod.com/


Neste link daqui para frente vocês poderão acessar todos os arquivos extras do blog que irei disponibilizar ao longo das postagens.
Boa sorte!!!!

quarta-feira, 1 de outubro de 2008

As doenças para o Ayurveda


Para o Ayurveda, apesar de existirem as classificações de diferentes doenças, todas são consequência da desarmonia dos três humores biológicos, Vata, Pitta e Kapha. Os doshas são fatores desencadeantes de doenças físicas e psicológicas; indicam desordens emocionais, desequilíbrio mental e disfunções fisiológicas.O Ayurveda tem como objetivo principal equilibrar os humores para neutralizar o processo de formação das doenças. E quando sintomas já estiverem se desenvolvido (a doença propriamente dita para a alopatia), o Ayurveda busca sanar a causa e tratá-la com alimentação, fitoterapia ( uso de plantas medicinais),massagem,yoga, meditação, diferentemente da medicina ocidental que na maioria da vezes trata apenas os sintomas.
No meu caso, o médico ayurvédico na Índia, diagnosticou um grande desiquilíbrio de Vata, e que a maioria dos sintomas que eu sentia eram suas consequências e que como fazia pouco mais de 4 meses que os sentia, as chances de ficar recuperada eram enormes e que tudo se resolveria. Foi um grande alívio e alegria ouvir isto, pois enquanto para os médicos alopatas eu estaria fadada a um problema sério e terrível e de consequências imensuráveis, para o Ayurveda estava apresentando um desequilíbrio um pouco acentuado mas que se eu me cuidasse tudo ficaria bem.