quarta-feira, 31 de dezembro de 2008

Uma Índia nada zen



O tratamento está correndo bem, continuo apenas tomando medicamentos para limpar meu estômago e intestinos. Para o Ayurveda todas as doenças começam devido ao mau funcionamento do sistema digestivo, e este deve ser tratado apropriadamente.

Durante as terapias que talvez seguirão, como massagens, enemas, sauna, etc, as toxinas acumuladas nos sistemas digestivos e excretores serão eliminadas com a ajuda de outros medicamentos e com a dieta correta.

O descanso também é muito importante. Tenho ficado deitada a maior parte do tempo, e sem dormir durante o dia, para não agravar o Vata dosha.

Hoje de manha pude tomar meu café da manha normalmente na cantina, pois a medicação anterior já acabou, e voltei a comer frutas, pelo menos no dia de hoje...

A cantina está sempre cheia, pois há pelo menos 600 pessoas internadas no hospital, com um número bastante expressivo de ocidentais, principalmente da Alemanha e França. Dividimos a mesa com um casal de alemães, que já estão na clinica há algumas semanas, e já tinham vindo aqui outras vezes. Elogiaram bastante o hospital e estão bastantes felizes com os resultados...

Contaram um pouco do que eles gostam na Índia...e ficamos bastante surpresos. O casal deve ter em torno de 70, 75 anos, não menos que isso, e quando saírem da clinica, daqui a uma semana irão para Goa, o paraíso dos europeus, onde há muita praia com coqueiros, bebidas, festas, muitas festas regadas a música eletrônica, tudo a um preço irrisório.

Estão ansiosos para ir para lá.. Eles adoram Goa, pois podem dançar e desfrutar de todo o seu tempo em festas.... muito engraçado... envelheceram e continuam com os mesmos hábitos de adolescentes quando começaram a vir para Índia em busca de raves, drogas e muita praia. Para quem não sabe, a musica trance surgiu em Goa.

Uma Índia nada espiritual, tranquila e zen como muitos pensam... aqui você encontra um pouco de tudo...depende apenas de seu foco, seja ele espiritual, econômico, médico ou apenas viajar ou desfrutar de comida, festas e praias.

O que você vê na Índia depende muito de seu olhar...achar que é um país miserável, cheio de pobreza, pessoas feias e sujas, um local terrível é pura ignorância, preconceito e desconhecimento dos fatos que realmente aqui acontecem...

É claro que como em qualquer lugar do MUNDO, há pessoas pobres, violência e tristeza, mas a maneira como os indianos encaram tudo isso faz toda a diferença para uma sociedade.

Aprendemos muito no dia a dia, todas as situações que nos acontecem nos trazem conhecimento, se estamos dispostos e abertos... a Índia nos testa, quebra nossos conceitos, mexe com nosso ego, nossos anseios, desejos, transforma nossa vida, cria oportunidades, destrói outras, mostra o que é mais importante e relevante na vida, e ainda, estampa em nossas faces nossos comportamentos e modos de vida excessivamente consumistas ocidentais tão prejudicais à nos mesmos quanto ao meio ambiente e sociedade que vivemos...

Um lugar fantástico... a Incredible Índia

segunda-feira, 29 de dezembro de 2008

Comida de Hospital Indiano


Estamos bem por aqui. O tratamento já começou. Não há muitas explicações apenas orientações do que fazer e o que não fazer.

Hoje me acordaram às 5:30 da manhã para tomar um medicamento horrível e depois ficar bebendo água com gengibre. Não posso dormir durante o dia, estou cansada demais, mas dormir, somente durante a noite!!!

As restrições alimentares não mudaram muito daquelas que eu seguia... Continuo sem poder comer qualquer tipo de óleo esquentado e nada de alimentos formadores de gases...
O médico avisou que deveria pedir na cantina do hospital a comida especial de paciente...
O atendente logo falou que era sem pimentas... imaginei que seria uma comida sem gosto, já que da primeira vez que estive na Índia para estudar Vaastu Shastra, minha comida era sem gosto, pois não sabiam preparar sem temperos.

Mas para a minha surpresa a comida veio farta e maravilhosa. Tem um sabor levemente picante, que pode ser amenizado com a ingestão de arroz basmati e chapati, um tipo de pão indiano delicioso.

Tanto o almoço como o jantar são servidos em bandejas e deve-se comer como todos os indianos...com a mão direita, já que a mão esquerda somente é utilizada para a higiene pessoal, pois eles não usam papel higiênico.

Como há muitos, mas muitos estrangeiros no hospital, eles disponibilizam uma colher, pois sabem de nossos hábitos...

Segue acima uma foto do meu almoço de ontem...Vejam como há tanta comida!!!! E o melhor... sabem quanto custa tudo isso?? Somente 35 rupias o equivalente a 2 reais !!!!

Impressionante!!!

Paz e saúde a todos.

domingo, 28 de dezembro de 2008

ENFIM....

(Empresas aereas indianas)
Enfim, chegamos… Tudo deu certo, a troca de voo funcionou, mas estamos exaustos. O avião saiu no horário marcado, mas a cidade onde tivemos que descer era muito mais longe daqui. Levamos 4 horas a mais de carro, uma aventura a parte... Mesmo com a modernização chegando em toda a Índia, todas as estradas estão sendo duplicadas e asfaltadas, os motoristas fazem loucuras no trânsito. Nos trechos onde ainda há uma única pista para os dois sentidos, o coração parece sair pela boca...a todo momento fica a impressão que vamos bater em enormes caminhões e ônibus correndo desesperadamente... Contudo, quando chegam bem perto, cada um desvia para a sua esquerda... Um loucura!!!!
A música indiana a todo volume no carro, dormir nem pensar...e parar para ir ao banheiro. Ahahah. Mais uma aventura... O banheiro do posto de gasolina com a típica latrina indiana no chão, sem luz, com baratas, formigas e tudo mais... mas no desespero, tudo bem, vai isso mesmo...afinal, estamos na Índia.

Chegamos no hospital já era 8 horas da noite. O recepcionista procurou meu nome na listagem e logo encontrou. Simpático, informou o quarto reservado e nos levou até lá. Por cada quarto que passávamos, os pacientes e seus familiares olhavam firmemente para nós...Mais ocidentais chegando, para compartilhar da fabulosa medicina ayurvédica.

O quarto desta vez é ótimo. Duas camas de solteiro, com lençóis razoavelmente limpos, duas mesas e duas cadeiras. Um banheiro privativo..ahh isso é excelente...não terei que dividir com mais ninguém...e o mais impressionante...uma salinha com uma maca de massagem para fazer alguns procedimentos no quarto mesmo... Muito bom!!!!

A limpeza??!!! Bom, o chão brilha, o vaso sanitário limpo, a pia limpa, tudo limpinho e arrumadinho....mas é claro!!! Estamos na Índia...e nossas fieis companheiras, as baratas estão aqui novamente...Não adianta matar!!! Elas são muitas, muitas...mas são pequenas, bem pequenininhas, e estão circulando livremente pelo banheiro...

Ontem a noite matei várias antes de tomar meu banho, em vão, pois hoje de manhã lá estavam muitas outras. Contudo, isto pouco importa, apesar de impressionar, pois na medicina Ayurvédica, o que interessa é limpar o organismo para que fique forte e saudável. O cuidados exteriores são secundários.
O banho é de balde!!! Não há chuveiro, somente duas torneiras, uma fria e outra com água bem quente.

Já fui atendida pelo médico chefe e sua assistente. Foram cordiais e muito simpáticos.. O médico parece ser muito bom...Fizeram perguntas, pediram para relatar todo o meu histórico e descrever como me sinto agora... Pegou no meu pulso para sentir através dos batimentos o que eu realmente tenho e o que vai tratar. Escutou bem coração e pulmão... analisou o movimento de braços, pernas e juntas.

Sentou-se novamente e deu orientações sobre comida e sobre os primeiros tratamentos. Não poderei sair do hospital e ficarei aqui internada por 28 dias...Já sabia disto, mas a confirmação só se daria após a avaliação.

Estamos bem...os tratamentos começam hoje a noite...e agora, tenho certeza que tudo vai dar certo...
(Desculpe a falta de acentos, o teclado tem outra configuracao)
Paz e saúde para todos.

sábado, 27 de dezembro de 2008

Mumbai




Ontem estava tendo manifestações em Mumbai devido os atentados terroristas. Exatamente 1 mês apos o ocorrido, os locais que foram atacados estavam cercados de milhares de pessoas, fazendo manifestações, pinturas, discursos, todos contra o terrorismo.

O clima na cidade é de tranqüilidade. Não há com o que se preocupar. A polícia está em “massa” no bairro Colaba, onde ocorreram a maioria dos atentados.

O Hotel Taj Mahal está funcionando, mas apenas os hóspedes podem entrar ou andar ao redor. O Cafe Leopold funciona normalmente, e a mesquita que era no mesmo bairro está com os primeiros andares reduzidos a ruínas. (fotos)

Nas outras fotos acima, assinei meu nome no protesto contra o terrorismo no mundo, e que a paz volte para todos.

Agora, enquanto escrevo, estou esperando para embarcar em um vôo para o sul da Índia, onde irei para o hospital. Tudo moderno.... mas o serviço continua o mesmo. Nosso vôo foi cancelado há dois meses, mas ninguém nos avisou. A rota não existe mais. Por sorte, terá um vôo para uma cidade próxima daqui a 4 horas, e conseguimos um lugar....

Provavelmente terei que pegar um trem... que não estava nos nossos planos... mas, enfim, só saberei quando chegar no próximo destino....

Paz e saúde a todos...

sexta-feira, 26 de dezembro de 2008

Work in progress


Chegamos em Mumbai. São uma da manhã. Mas estamos bem, apesar do horário e do cansaço.
Durante o vôo consegui preparar minha refeição. Mesmo com a comida vegetariana do avião não tive o que comer.
Fui ao comissário de bordo e pedi que completasse com água quente um pote onde cozinharia meu macarrão de arroz, apenas um minuto e está pronto.
O comissário ficou intrigado e quis saber o porquê do pedido. Expliquei tudo, sobre a doença, o tratamento na Índia e o Ayurveda. Porém, ele não acreditou em mim.
Não conseguia compreender que na Índia existisse cura para qualquer doença que não passasse de um resfriado. Perguntou-me por duas vezes: “Do you believe in it?” ( Você acredita nisso?). Realmente, poucos sabem do poder do Ayureda, e ainda duvidam de suas capacidades.
Logo ao sair do avião tive novas experiências na Índia...a Índia está em progresso, está mudando rapidamente. Se você quer conhecê-la venha logo, pois está tudo se transformando.
A globalização roubou o encanto da Índia. Não há mais elefantes na rua de Mumbai, pessoas dormindo nas ruas agora são poucas, as grandes avenidas asfaltadas tomaram o lugar das ruas de terra e esburacadas. O cheiro mundou, a comida está sendo pradonizada (Pizza Hut, Mac donald’s, starbucks, etc...), as propagandas são mais agressivas, as roupas... infelizmente... as roupas estão se ocidentalizando, quase nada de saree, kurta ou batas indianas. Muita calça jeans, blusas justas e sem manga. Algo inimaginável na antiga Índia.
O aeroporto em obras... no chão muito carpete, banheiros ocidentais e limpos (melhores que no aereoporto do Rio de Janeiro), ar condicionado, duty free com muito uísque e perfume, além de uma nova orgnização para táxis e ônibus.
Não há mais desconforto. Tudo está ficando fácil e ocidentalizado. A Índia está em progresso e as mudanças transformando seu povo, sua cultura, hábitos e comportamentos.
Na primeira foto, uma pintura do que vemos de fato na ruas. Vendedores ambulantes agaichados no meio das avenidas modernizadas.
Na segunda foto, é possível ver um pouco da saída do aeroporto, onde antes milhares de taxistas ficavam na nossa volta, agora apenas surge aquele que irá nos levar embora.

Algumas continuam a sentar no chão, antes perfeitamente integrada ao cenário, agora passam a distoar.
Paz e saúde a todos.

quarta-feira, 24 de dezembro de 2008

Paris


Olá pessoal...Já estou em Paris, minha viagem para Índia já começou.
Estou bastante cansada...o frio está torturando nossos corpos acostumados com temperaturas quentes do Rio de Janeiro. Mas é por pouco tempo, amanhã dia 25, parto para Mumbai, e, depois, rumo a mais um tratamento ayurvédico no sul da Índia.

A viagem foi bastante puxada, o ar seco e frio do avião são extremamente prejudiciais e recessacam a pele e corpo de qualquer ser humano... Mas aprendi algumas técnicas ayurvédicas para me proteger e ter menos efeitos de tantas horas expostas ao ar condicionado.

Durante o tempo todo me mantive hidrantando o corpo com muita, mas muita água. Além disso, passei óleo de uva pelo corpo várias vezes para evitar o ressecamento e manter o corpo lubrificado. A pele absorve o óleo e lubrifica internamente o corpo, tendo um efeito profundo que não se restringe à proteção da epiderme.

Outra dica importante que o médico na Índia já havia me dito, e que realmente funciona, é manter a cabeça coberta, com uma touca ou lenço, a fim de diminuir a exposição ao ar de uma parte tão delicada, o topo da cabeça.

A viagem correu bem. Estou no hotel descansando para mais 10 horas de vôo.

UM FELIZ NATAL PARA TODOS

ABRAÇOS

terça-feira, 23 de dezembro de 2008

Ganesha - O Deus Elefante


Ganesha é o deus elefante e tornou-se um dos deuses mais conhecidos tanto no Oriente quanto no Ocidente.

Sua tamanha popularidade e difusão nas mentes das massas, mostram a importância de suas qualidades e representações.

No conhecimento Hindu, ele é o filho de Shiva e Parvati. Ganesha tem um semblante elefântico com tronco e orelhas grandes, e um enorme e barrigudo corpo de ser humano.

Ele é o Senhor de sucesso e destruidor dos males e obstáculos

Ele também é venerado como o deus da educação, conhecimento, sabedoria e riqueza.

Na porta das casas indianas há um Ganesha pendurado, para proteger a casa e destruir todos os males que vem de fora.

A cabeça de Ganesha simboliza o Atman ou a alma, que é a derradeira realidade suprema da existência humana, e seu corpo humano significa Maya ou a existência terrena dos seres humanos.

Sua cabeça denota sabedoria e seu tronco representa Om, o som símbolo da realidade cósmica. Sua grande barriga representa a generosidade na natureza e também que Ganesha absorve as tristezas do Universo e protege o mundo.

Todo o seu corpo, suas vestimentas e objetos que segura representam algum aspecto da vida e da realidade.

Ele é normalmente mostrado com uma mão na pose de abhaya, que representa proteção e refúgio e a segunda segurando um doce (modaka) simbolizando a doçura da realização do eu interior.

Nas duas mãos atrás dele segura um ankusha (espécie de machadinha) e um pasha (laço). O laço é para mostrar que o apego e os desejos mundanos são como laços que atam o homem. A machadinha é para destruir os obstáculos que impedem o homem no seu caminho espiritual.

Ganesha não é simplesmente um elefante bonitinho e decorativo. Ele serve para nos lembrar de todos os aspectos que ele representa e mostrar como percorrer a vida com mais conhecimento, consciência e responsabilidade.

Muita paz e conhecimento a todos.

domingo, 21 de dezembro de 2008

Shampoo indiano

Descupem a demora para postar...estou na maior correria arrumando as malas para a viajar para Índia, faltam poucos dias...

Hoje vou falar um pouco de como o Ayurveda está infiltrado na vida da sociedade indiana. Mesmo que as pessoas não tenham necessidade de fazer tratamentos mais específicos ou prolongados, a cultura da prevenção e tratamento constante da saúde faz parte da maioria dos indianos.
Muitas vezes, eles próprios, não sabem que os produtos comercializados nos supermercados, farmácias possuem uma base do ayurveda para serem produzidos.
Um dos exemplos é de um tipo de Shampoo em pó muito usado na Índia. Tive o contato com seu uso quando estava no hospital. Como não podia utilizar produtos químicos, principalmente na cabeça, devido as orientações médicas, e também, a mesma deveria permanecer o máximo possível com o óleo dos tratamentos como do Shirovasti, as enfermeiras utilizavam este pó da foto para cuidar de meus cabelos.
O pó é feito de várias ervas com funções diversas, entre elas retirar o excesso de óleo dos cabelos, e quando molhado produz uma espuma semelhante a do shampoo líquido que estamos acostumados a usar.
O shampo de ervas é altamente eficaz em nutrir o cabelo com proteínas desde a raiz e lava retirando a sujeira acumulada sem ressecar. Além disso, proporciona a maior resistência e brilho ao cabelo, e um crescimento surpreendente, aliado a outros tratamentos.
Muita saúde e paz a todos

quinta-feira, 18 de dezembro de 2008

Neem


O Neem é uma árvore perene originária de regiões tropical e subtropical. Nativa do sul da Ásia, ela está disseminada em todo o restante do continente asiático e africano.

O Neem faz parte da medicina tradicional indiana há vários séculos e continua sendo utilizada até hoje.

Atualmente, nos países europeus e até mesmo aqui no Brasil o Neem está se tornando cada vez mais popular devido a suas características medicinais.

Desde a antiguidade o Neem tem sido associado pelos indianos à cura de inúmeras doenças.
Nos dias de hoje um grande número de remédios, cosméticos, produtos de perfumaria e farmacêuticos têm como base derivados do Neem devido a suas propriedades medicinais.

Tanto na Índia como na África milhões de pessoas usam pequenos galhos de Neem como “escovas de dente” todos os dias.

Várias empresas na Europa usam o Neem como um ingrediente ativo em pastas de dente. O Neem se mostra muito eficaz na prevenção e cura de inflamações na gengiva e nas doenças periodônticas

O Neem é também muito eficaz como analgésico, antitérmico e anti-inflamatório em casos de reumatismo, artrite e artrose.

Já o óleo de Neem é utilizado para problemas de pele como eczemas, dermatites, pruridos, sensação de queimação, micoses e úlceras na pele.

Além disso é um pesticida natural utilizada largamente na lavoura.

Para utiliza-lo procure a orientação de um profissional experiente a fim de evitar qualquer complicação ou ainda saber se realmente ele é indicado no seu caso específico.

Se quise saber um pouco mais sobre esta planta, encontrei um site muito interessante: http://www.plantaneem.com.br/.



Muita paz e conhecimento a todos

terça-feira, 16 de dezembro de 2008

Roupas indianas


A roupa indiana feminina mais conhecida no ocidente é o SAREE.
O saree é um longo tecido com 6 metros de comprimento por 1.5 de largura. Há uns saris mais curtos, com 5 metros de comprimento, mas a largura no geral é a mesma e tem uma variação de até uns 5 centímetros.

Por baixo do tecido usa-se uma blusinha bem justa e que deixa a barriga de fora e uma saia que vai até os pés.


No início os sarees eram feitos de seda ou algodão, mas hoje em dia existem sarees dos mais variados tecidos.


Há sarees mais simples e outros mais rebuscados com muitos bordados. Os preços também variam bastante devido ao material e aos detalhes.

As indianas usam o saree sempre. Desde ir à um casamento até mesmo trabalhar e fazer os serviços da casa.

segunda-feira, 15 de dezembro de 2008

Outras experiências com o Ayurveda


Como já falei anteriormente, não só para a minha saúde o Ayurveda trouxe benefícios, como para as pessoas que convivem comigo e se dispuseram a tentar uma nova alternativa de tratamento...

Meu marido também já se beneficiou e muito com o Ayurveda. Na verdade ele teve o primeiro contato com esta medicina.

Ele sofria fazia alguns anos (5 anos) de uma espécie de inflamação nas pálpebras chamada BLEFARITE. O sintomas que o incomodavam eram uma coceira constante nos olhos, uma descamação nas pálpebras, perda dos cílios, vermelhidão nos olhos, etc....

Depois de percorrer vários oftalmologistas e todos darem a mesma fórmula para tentar controlar os sintomas desagradáveis, já que não existe cura assegurada pela medicina alopática, ele resolveu fazer um tratamento ayurvédico.

Quando fiquei internada no hospital na Índia, o médico falou que aquele problema (blefarite) dele era fácil de resolver.

Aproveitando a estada na clínica, o médico receitou alguns tratamentos como o Netra Basti que expliquei em outro post, e a aplicação de um outro remédio a base de ervas, além da ingestão de medicamentos ayurvédicos orais.

O tratamento para ele foi também bastante doloroso, mas o resultado foi excelente. A blefarite, que antes era apenas superficialmente tratada, agora desapareceu e nunca mais voltou.

E mais uma vez, este e outros casos que presenciei, me deixam extremamente feliz, pois vejo que estou tendo a oportunidade de ajudar outras pessoas, que apresentam não somente esclerose múltipla, mas outras doenças insolucionáveis ou difíceis de serem tratadas....

domingo, 14 de dezembro de 2008

Budismo - Yagon - Myanmar













Uma vez que estou em um fim de semana Budista, vou aproveitar o embalo e falar um pouco mais sobre esta filosofia.

Já tive contato com o Budismo, pois morava no Rio Grande do Sul e pude conhecer e aproveitar um pouco do Templo Budista Khadro Ling em Três Coroas.

Na palestra que assisti hoje, Dzongsar Rinpoche falou da importância de criarmos o ambiente e as condições para uma prática e uma busca espiritual.

Dentre uma série de conselhos que deu, está o de conhecer lugares considerados sagrados, ou seja, locais que nos lembrem do caminho para se libertar dos sofrimentos e ilusões de nossa vida.

Os locais mais importantes para ele são: Lumbini, Bodhigaya, Varanasi, Kushinagar e mais outros 19. Ir à um desses locais traz méritos para a pessoa. Ainda não conheço estes locais, mas tentarei ir à Varanasi em fevereiro, quando estiver na Índia.

Em 2005, em viagem a passeio e estudos pela Ásia, conheci a cidade de Yagon em Myanmar, antiga Burma ou Birmânia. Um país com a maioria da população budista e com locais de peregrinação muito importantes para o budismo, mas que infelizmente mantém uma ditadura militar muito forte e opressora. Contrastes da vida espiritual.

Na cidade de Yagon, a capital de Myanmar, encontra- se a magnífica estupa chamada Shwedagon. Lá também estão guardados alguns dos cabelos de Buda.

Estupas são monumentos que representam a mente iluminada do Buda.

O local não é apenas importante, ele é motivo de pereginação para todos os monges de Myanmar e alguns outros do mundo. A Pagoda de Shwedagon impressiona, somente a estupa principal tem 98 metros de altura, mais de 26 toneladas de ouro, 3.154 sinos de ouro e quase 80.000 pedras preciosas, sendo 5.000 diamantes, alguns do tamanho de um ovo de galinha.

A história é antiga e chegam aos 2.500 anos de idade, da mesma época em que os irmãos Tapussa e Bhallika trouxeram os cabelos de Buda para o país.

Além da estupa principal, de quase 100 metros, há centenas de outras menores, igualmente folheadas a ouro, e milhares de imagens de Buda, de todas as formas e materiais diferentes.

É uma experiência realmente avalassadora em nossa mente. Um lugar magnífico e inspirador. Milhares de monges, pessoas "normais", crianças monásticas, todos fazendo práticas de meditação, orações e oferendas...

Dzongsar estava certo... O exemplo e o local insipiram nossos comportamentos, "desejos"e busca...

Paz e conhecimento a todos

sábado, 13 de dezembro de 2008

Budismo



Hoje pela manhã assisti a palestra do monge budista do Butão, Dzongsar Jamyang Kheyentse Rinpoche. Ele acabou de lançar o livro acima. Sua fala é clara com exemplos da atualidade, o que nos ajuda a compreender o caminho da realização humana e os obstáculos que fazem nos perdermos na trajetória.

Amanhã ele continuará suas explicações no Jardim Botânico - Espaço Tom Jobim as 9:30, ainda tem vaga e a entrada é R$ 30,00. Se estiverem aqui pelo Rio, não percam.

Vejamos um trecho de seu livro.

" Nós, humanos, consideramos a abertura mental uma virtude. Para alargar a nossa mente, é importante não nos contentarmos apenas com conforto e o hábito. É bom ter coragem de ir além das normas estabelecidas, sem ficar confinado aos limites da lógica convencional".


Que tenhamos as benções dos sábios...

sexta-feira, 12 de dezembro de 2008

O que é Yoga ?

Esta foto mostra umas das excelentes aulas que tive oportunidade de ter com o Prof. Edi Lisboa. Alguns meses após o retorno do hospital na Índia, comecei uma prática suave e importante para a recuperação de movimentos, força, flexibilidade e tranquilidade que havia perdido devido aos sérios sintomas da E.M.


A palavra YOGA é derivada da raiz sânscrita YUJ, que significa ligar, juntar, unir, concentrar a atenção, simbolizando a união do ser humano com o Ser Universal.

Visando este caminho podemos encontrar várias escolas ou linhas de Yoga. Algumas ensinam posturas físicas como início da trajetória da Yoga e outras vão direto para outros aspectos. Mas todas buscam essa sensação de integração com o Supremo.

Yoga é uma ciência ancestral, extremamente sutil, e visa cuidar do corpo, da mente e da alma. A prática prolongada da Yoga traz um sentimento de paz e sensação de bem-estar.

De acordo com o sábio Patanjali: "O objetivo inicial da Yoga é acalmar o caos dos impulsos e pensamentos conflituosos".

A prática de Yoga visa superar as limitações da mente e do corpo. Ela nos ensina que a meta de nossas vidas é embarcar na viagem ao interior da alma. A Yoga nos oferece tanto a meta como os meios para alcançá-la. Os meios fazem parte das oito etapas ou aspectos deste caminho, onde o terceiro são as posturas físicas, os asanas.

Muitas pessoas já sabem que a prática de Yoga faz com que o corpo fique forte e flexível. Porém, o mais importante é que a dedicação diária melhora o funcionamento do sistema respiratório, circulatório, digestivo, nervoso e hormonal. E mais importante ainda é que a Yoga também traz estabilidade emocional, a clareza e o aguçamento de nossa mente. Torna-nos mais objetivos, centrados e, por último, mais felizes e em PAZ.

No meu caso, a Yoga se mostrou algo essencial e importante no processo de recuperação e manutenção da minha saúde. Fui percebendo aos poucos e de maneira muito, mas muito gradual vários benefícios da prática diária. Essa lentidão em proporcionar resultados é o mistério e a sutileza da proposta, pois tudo que é lento costuma ser duradouro e profundo.

Sempre tive minhas dúvidas que esse método de "exercícios de alongamento", como acreditava antes, iria levar-me a algum lugar. Mas hoje sei que seu poder é intenso e somente é revelado a quem se dedica e possui paciência para esperar os resultados surgirem.

A disciplina, a boa e correta orientação na prática de Yoga definem os resultados na nossa saúde, pensamentos e comportamentos futuros.
Ainda não sei o que é essa tal "união com o Ser", mas percebo claramente os efeitos da Yoga na minha saúde e tranqüilidade mental.

Muita PAZ a todos.

quinta-feira, 11 de dezembro de 2008

Os devidos cuidados


Nesta foto aí em cima estou sob os cuidados médicos na Índia. Tive que ficar com a cabeça e ouvidos protegidos durante os 21 dias de tratamento.

Não imaginava que as terapias ayurvédicas necessitassem de tantos cuidados e precauções.

Os médicos do hospital, muitas vezes, comparavam alguns procedimentos, como o Shirovasti que expliquei anteriormente, à cirurgias. O devido repouso e proteção do corpo durante o período de tratamento eram muito importantes.

Uma das recomendações era que não deveria me expor ao sol, ao vento, à claridade... Enfim, deveria ficar quieta no quarto e sem dormir durante o dia, mesmo que o sono fosse grande. Os conceitos e conselhos na maioria das vezes eram estranhos demais, mas fui me adaptando e entendo cada um deles.

Pode parecer repetivo este meu discurso, mas todos precisam ter em mente a seriedade desta medicina. Alguns acham, por desconhecimento do assunto que esta é uma simples terapia alternativa, um paleativo, mas estão muito, mas muito enganados. O conhecimento e a informação são essenciais e importantes quando desconhecemos algo.

Os procedimentos são muitas vezes delicados, outras vezes profundos. Os devidos cuidados durante e após a terapia são muito importantes.

No Ocidente, muito desses cuidados não são levados a sério e comprometem e muito o resultado final do tratamento. E isto acaba por gerar uma descrença na Medicina Ayurvédica. Não que ela não funcione, mas a aplicação dos procedimentos, a quantidade, qualidade e dose correta dos remédios podem comprometer demais os efeitos benéficos de todas as terapias e muitas vezes podem até piorar o estado de saúde.

Falo isso porque passei por essa experiência. E, portanto, aconselho que procurem tomar cuidados com a escolha de onde e com quem fazer essas terapias. Nos casos de saúde mais simples e comuns não é preciso ter extrema cautela, mas para as pessoas com doenças estabelecidas a muito tempo ou graves, todo o cuidado é pouco.

E lembrem-se, não existem milagres ou super poderes dentro do Ayurveda. Assim como a medicina ocidental ela tem suas limitações. Mas atenção para não confundir o alcance do ayurveda com a experiência e conhecimento do terapeuta ou médico que está lhe orientando.

Muita saúde e conhecimento a todos.

terça-feira, 9 de dezembro de 2008

Banheiro indiano



Falar sobre banheiros na Índia e a maneira de usá-los daria um bom e grande livro... As situações que nós ocidentais passamos logo que chegamos lá são as mais diversas possíveis.

É um choque de culturas, de costumes, de hábitos, de tudo.

Da primeira vez que fui à Índia, o aeroporto de Mumbai não estava reformado e modernizado como hoje. Saí do avião e corri desesperada para um banheiro.... Cheguei lá e me deparei com uma latrina igual a da terceira foto, sem papel higiênico, somente com uma torneirinha e uma caneca.....

Nós ocidentais fomos acostumados a sentar nas privadas, sentar em cadeiras, bancos. Não temos mais alongamento nas pernas e ficar em posição de cócoras se torna extremamente desconfortável.

Como muitas pessoas não tem idéia do que seja um banheiro indiano estou postando aqui algumas
fotos de banheiros típicos da Índia.

Na primeira foto a pessoa sobe na louça sanitária e fica de cócoras e para se limpar usa a canequinha e água. Na segunda foto você também fica agachado, mas pode optar por usar papel higiênico ou a torneirinha. E na terceira foto, é tudo mais precário, e agora mesmo é que temos que nos agachar e usar a canequinha.


Mas não se preocupem, que hoje em dia em muitos lugares é possível encontrar banheiros ocidentais e com papel higiênico. Porém, para garantir, deixe sempre um pouco de papel reservado na bolsa....

Muita paz e conhecimento a todos....

segunda-feira, 8 de dezembro de 2008

Shirovasti


Esta foto aqui mostra um pouco mais do tratamento que fiz na Índia.
Os procedimentos são bastante curiosos e diferentes para nossa concepção ocidental. Na maioria das vezes achamos que não surtirão nenhum efeito medicinal, apenas simples relaxamento do corpo. Mas estamos completamente equivocados, as terapias da Medicina Ayurvédica são eficazes e extremamente coerentes com o que se propõem.
A terapia da foto acima é chamada de Shirovasti, e é aplicada só nos casos em que o desequilíbrio do organismo é grande e para problemas específicos como insônia, paralisia facial e distúrbios do sistema nervoso e cegueira.
Consiste na colocação de uma lâmina de couro ou de folha de bananeira sobre a cabeça em forma de cone. É presa com panos e com massa de pão, para dar bastante aderência na cabeça. Em seguida, a médica faz um oração e coloca o óleo medicado e morno. O tempo de duranção varia para cada problema, no meu caso, ficava 1 hora por dia.
Durante a terapia várias sensações ocorriam, desde formigamentos, cansaço e muito, mais muito sono. Mas este último era meu maior inimigo. Dormir durante e a terapia é extremamente contra indicado, minha cabeça poderia tombar e todo o óleo derramar, além de que perderia os benefícios da terapia.
No início do tratamento achei que não ia funcionar, não tinha idéia do real objetivo do processo.
O médico do hospital explicou que era um procedimento que iria banhar o cérebro de óleo e o mesmo iria percorrer todo corpo.
Duvidei profundamente de suas palavras. Como assim? O óleo ia penetrar meu crânio? Banhar meu cérebro? ???
Mas depois de 10 dias de aplicação diária e por 1 hora, percebi que era real. Comecei a sentir um gosto de óleo queimado na boca... mas de onde vinha? Não estava comendo nada de óleo, a dieta prescrita não permitia...
Então percebi que o óleo realmente tinha "entrado" na minha cabeça e agora esta banhando minha língua!!! Já estava descendo, conforme as informação do médico. Meus conceitos e crenças no tratamento começaram a mudar.
Passei a ter certeza e acreditar mais no que a equipe médica do hospital falava. Os resultados já estavam surtindo efeito e as terríveis dores e desconfortos estavam por me deixar...e, assim, me mostrar os reais poderes e alcance desta medicina tão fantástica e coerente.
E muito importante!!!! Esta terapia deve ser realizada sob supervisão de um médico ou terapeuta muito experiente. Não deve ser aplicada em casa. Exposição ao frio, ao sol e ao vento é estritamente proibido durante os dias da aplicação, pois podem acarretar sérios efeitos nocivos no corpo, podem até gerar o efeito contrário, agravando o estado de saúde.
Paz e conhecimento a todos...

domingo, 7 de dezembro de 2008

Temperos e especiarias



Cada alimento tem um tipo diferente de digestão. Na culinária indiana, as especiarias têm como principal função auxiliar neste processo do organismo. Além disso, elas proporcionam os diferentes sabores, e também aquecem ou refrescam os doshas.

Seguem algumas orientações dadas pelos terapeutas ayurvédicos Krishna Kishora (Brasil) e Swami Sada Tirtha (Índia).


1. Cravo da Índia: quente, aromático, acre, picante, adstringente:
- Indispensável nos masalas
- Na medicina ayurvédica é usado como analgésico bocal, bactericida, fungicida, parasiticida e afrodisíaco.

2. Canela: quente, picante, doce:
- Usada tanto em pratos doces como salgados;
- No ayurveda tem propriedades anti-espasmódicas, anti-reumáticas, estimulante e afrodisíaca..

3. Anis estrelado: doce, picante:
- Serve para suavizar pratos fortes, nas frutas assadas e cozidas, no leite, em doces e chás, e como elemento decorativo;
- É indicado para dor abdominal, indigestão e cólicas menstruais.

4. Assafétida: picante, quente, amarga:
- É considerado o melhor tempero para Vata, pois diminui os gases estomacais e intestinais. - Elimina os gases dos alimentos
- excelente tempero para cozinhar feijões, lentilhas, couve-flor.

5. Orégano: quente, azedo:
- É indicado como analgésico, estimulante e anti-séptico.
- É excelente para severa distenção abdominal e indigestão.


Nos próximos posts escrevo mais!!!

sexta-feira, 5 de dezembro de 2008

Óleo de Girassol



Segundo a Dra Kousmine, uma neurologista da Suíça e grande pesquisadora sobre a Esclerose múltipla conforme falei anteriormente, utiliza na dieta para seus pacientes o Óleo de Girassol prensado a frio, devido as suas excelentes propriedades regeneradoras.
Retirei de um site algumas informações mais específicas:

“ O ÓLEO DE GIRASSOL Extra-Virgem extraído a frio de primeira e única pressão é elaborado artesanalmente a partir de sementes de girassol selecionadas e descascadas, cultivadas rigorosamente dentro das normas de produção orgânica, apresentando sabor levemente adocicado semelhante a nozes, aroma agradável e coloração amarelo dourada.

Trata-se de um óleo muito rico em Alfatocoferol (vitamina E natural), agindo positivamente sobre as funções reprodutoras com destacada ação antioxidante, e ácidos graxos essenciais bioativos.

Ele atua favorecendo o sistema nervoso central, limpando a bainha de mielina e estimulando a produção de hormônios cerebrais, amenizando os problemas causados pela depressão. Auxilia aliviando os desconfortos causados pela menopausa e tensão pré-menstrual.

Ao contrário dos óleos comestíveis refinados, de baixa qualidade que são aquecidos, filtrados e clareados por processos químicos, o AZEITE DE GIRASSOL Extra-Virgem conserva todos os elementos nutritivos e as informações energéticas da planta e quando prensado a frio e produzido por processos naturais, revela, assim como as frutas, verduras e legumes orgânicos, uma qualidade luminosa visivelmente maior” . ( http://www.vitalatman.com.br/)

Existem muitos benefícios com a ingestão deste óleo, desde que ele não seja esquentado.

A Dr. Kousmine sugere que óleo de girassol prensado a frio, seja de procedência conhecida e seja usado no máximo 2 colheres por dia, de preferência com iogurte ou queijo branco, pois estes ajudam na melhor absorção.

Mas antes de começar qualquer dieta, restrição alimentar ou inclusão de algum alimento na sua alimentação verifique se realmente é aconselhável e se o produto é confiável.

Pois ter uma dieta equilibrada significa que:

- esteja adaptada às necessidades individuais (dependendo da idade, nível de atividade, doença, clima, dosha,...);

- forneça os componentes nutricionais necessários (nutrientes, vitaminas, enzimas, minerais, oligo-elementos, fibras, água, etc..)

- não sobrecarrega o funcionamento do organismo;

- gere boa digestão e eliminação;

- seja preparada de forma adequada.

Muita saúde e conhecimento a todos.

quinta-feira, 4 de dezembro de 2008

Tipos de inquietude

Ashram da Arte de Viver - Bangalore - India (Foto)

Estava lendo alguns pensamentos de Sri Sri Ravi Shankar, um indiano, fundador da ONG com maior número de voluntários do planeta e que possui diversos trabalhos sociais em vários países.

Além disso, a FUNDAÇÃO ARTE DE VIVER possui vários cursos com técnicas eficazes de pranayamas e meditações que falarei mais especificamente em outro post.Então, segue um pensamento bem interessante dele:


OS 5 TIPOS DE INQUIETUDE

O primeiro tipo de inquietude está relacionado ao lugar onde você está. Quando você sai deste lugar, da rua ou da casa, imediatamente se sente melhor. Entoar mantras, cantar, crianças rindo e brincando podem modificar essa atmosfera de inquietude.

O segundo tipo de inquietude está no corpo. Comida errada ou comida tipo vata, comer nas horas erradas, não se exercitar e excesso de trabalho, podem causar uma inquietude física. O remédio para isso é se exercitar, moderar no trabalho, e uma dieta de vegetais e sucos.

O terceiro tipo de inquietude é mental. É causada pela ambição, pensamentos fortes, gostos e desgostos. Conhecimento pode curar essa inquietude. Ver a vida por uma perspectiva maior, conhecimento sobre o Ser e a impermanência de tudo. Conhecimento sobre sua vida ou morte, confiança no Ser, no Divino, podem acalmar a inquietude mental.

Então, há a inquietude emocional. Nenhuma quantidade de conhecimento pode ajudar aqui. Fazer pranayama ajuda! Toda essa inquietude emocional desaparece. Além disso, a presença do Guru, de uma pessoa sábia ou de um santo pode ajudar a acalmar sua inquietude emocional.

O quinto tipo de inquietude é raro. É a inquietude da alma. Quando tudo parecer vazio e sem sentido saiba que você é muito afortunado. Essa procura e inquietude é a inquietude da alma. Não tente se livrar disso. Abrace isso! Dê as boas vindas! Normalmente, para se livrar disso, as pessoas fazem um monte de coisas: mudam de lugares, empregos ou parceiros, fazem isso e aquilo. Parece ajudar por algum tempo, mas não dura muito.

Sozinha, essa inquietude da alma pode trazer em você a oração autêntica. Traz perfeição, Siddhis, e milagres na vida. É tão precioso ter essa profunda busca pelo Divino. Satsang e a presença do iluminado acalmam a inquietude da alma.
Sri Sri Ravi Shankar

quarta-feira, 3 de dezembro de 2008

Preparativos para Índia


Desculpem a falta de postagens nos últimos dias, é que estava em São Paulo acertando alguns detalhes pessoais, pois no final de dezembro estarei embarcando para a ÍNDIA. Isso mesmo ...irei para Índia daqui à alguns dias e estou na maior correria, mas também, confesso que com um pouco de medo... Os atentados terroristas geram preocupação, dúvida, ansiedade, expectativa....

O hotel que ficarei em Mumbai é meia-quadra do Taj Mahal Hotel, onde aconteceu o atentado...e como não sei exatamente como estão as coisas por lá, tenho um pouco de receio...

Já adianto que ficarei por lá durante dois meses...que passarão rápido demais!!!

O primeiro mês farei um tratamento de panchakarma como manutenção e prevenção de minha saúde, para manter meu corpo saudável. Ficarei em um Hospital Ayurvédico no sul da Índia, e depois ... bom depois...ainda não sei bem...tudo dependerá de como vou ficar após os 28 dias.

Mas, apesar de todas as preocupações quanto aos atentados, sei o quanto esta viagem é importante para a manutenção de minha saúde.
E todos vocês que me acompanham, poderão continuar, pois na medida do possível, irei postar cada passo do tratamento que estarei realizando e assim, cada vez mais trazer os conhecimentos para que todos possam se beneficiar desta medicina tão completa e séria que é o Ayurveda.

Paz e saúde a todos.

segunda-feira, 1 de dezembro de 2008

O caminho da verdade


" Não existe um caminho para a verdade. A verdade deve ser descoberta, mas não existe uma fórmula para seu descobrimento. O que é formulado não é verdadeiro. Você deve partir para o mar inexplorado, e o mar inexplorado é você mesmo. Você deve partir para se descobrir, mas não segundo algum plano ou padrão, porque aí não há descobrimento. O descobrimento traz alegria, não alegria lembrada, comparativa, mas alegria sempre nova. O auto-conhecimento é o início da sabedoria em cujo silêncio e tranquilidade existe o incomensurável".
J. Krishnamurti

Os indianos reservam muitos horários do dia para rezas, meditações e orações. e com estas práticas, buscam a verdade através do auto-conhecimento.

E isso é essencial para que se descubra o verdadeiro caminho a seguir. E assim alcançar os objetivos mais importantes para a nossa existência

Busque suas próprias experiências através do silêncio.

Paz e conhecimento a todos...