quarta-feira, 3 de junho de 2009

A ciência indiana do morar


A minha proximidade com a cultura indiana começou através da arquitetura. Comecei a buscar nos meus projetos algo que tivesse um sentido mais profundo e que gerasse, além de beleza, praticidade e conforto na moradia ou local de trabalho dos meus clientes, uma sensação de bem-estar amparada por conhecimentos milenares.

Encontrei na filosofia indiana um corpo de conhecimentos compilados em textos sagrados, chamado de Vedas (“conhecimento”), que tratam de assuntos como medicina, teatro, astrologia, yoga e, entre outros, de arquitetura (Sthapatya Veda).

Dentro do Sthapatya Veda encontrei o Vaastu Vidya, termo sânscrito que significa “ciência do bem morar”. Os grandes yoguis entraram em estado de profundo contato com a natureza e desvelaram os segredos desta ciência, no que tangia ao espaço ideal para o homem encontrar seu equilíbrio e permitir que suas funções vitais, em sentido amplo, pudessem entrar em harmonia com o Todo.

Miticamente povoaram de divindades os espaços das moradias representando cada um deles com os aspectos fundamentais da vida humana. As divindades são respeitadas enquanto facetas da manifestação do homem. Diz o mito que um demônio, Purusha, foi esmagado sobre a Terra, e passou a habitar a casa de todos.

Sendo, portanto, imprescindível que se apazigúe o Purusha através do equilíbrio dos cinco elementos constitutivos do universo (terra, ar, água, fogo, éter), para que o demônio não se volte contra seus moradores trazendo desgraça.

Apesar do mito ser uma maneira lúdica de se passar um conhecimento, Vaastu Vidya é repleto de sabedoria que aos poucos a ciência desvelará, formando um sistema rigoroso de regras e técnicas para atrair a energia universal (Prana) que se distribui em todos os espaços.

O Vaastu Purusha Mandala, que é apresentado na planta Harmonização Vaastu Vidya, é uma representação de Deus enquanto guardião da moradia, já que na filosofia védica tudo possui seu oposto complementar, como no caso, Demônio X Deus. O Vaastu Purusha funciona como um todo integrado de várias partes.

Um princípio que se origina no macrocosmo e se reflete no microcosmo da residência de cada um, portanto, em cada cômodo da casa também deve ser respeitado o equilíbrio da divindade com os seus ocupantes.

O quadrado representa o universo em um microcosmo e, de acordo com o Vaastu, ele é o formato perfeito no qual uma pessoa pode morar. Uma variante aceitável que mantém o bom fluxo do Prana é o retângulo. Certas extensões nestas formas são benéficas e outras prejudiciais de acordo com uma série de fatores como clima, localização, materias utilizados, etc.

Uma ciência profunda, complexa e largamente utilizada na Índia até os dias atuais... Nos jornais, folders de publicidade sobre a venda de apartamentos, encontra-se uma indicação que os apartamentos foram projetados baseados nesta ciência.

É a modernidade chegando e totalmente amparada pelos conhecimentos milenares desta cultura tão preocupada com o bem- estar e saúde do seu povo.

Paz e conhecimento a todos

Nenhum comentário: