sexta-feira, 27 de novembro de 2009

Ensinamentos de vida


Aqui em Pune continua tudo bem. As dores na coluna diminuiram bastante e a mobilidade está voltando aos poucos.

O curso de nutrição está ótimo, temos aprendido muito, praticado os ensinamentos e consequentemente obtendo benefícios.

Muitos ensinamentos...mas um deles de grande valia...e nada tem haver com nutrição.

Quando ficamos doente, nos sentimos fragilizados, com o corpo e a mente comprometidos. Buscamos especialistas, médicos, fisioterapeutas, terapeutas, nutricionistas, profissionais da saúde. Pessoas preocupadas e comprometidas com o ajudar os doentes.

Algumas vezes nos beneficiamos, outras nem tanto. Há vezes também que pioramos ainda mais...
Hoje há um aumento significativo de pessoas trabalhando com terapias alternativas de saúde no Ocidente, e o Ayurveda é uma delas. Alguns profissionais dedicados, comprometidos e com real foco em ajudar a sarar as enfermidades. Mas nem todos...Alguns, preocupados apenas com os lucros.

Muitas pessoas veem para Índia fazer cursos rápidos, pegam os diplomas e voltam ao Brasil para abrirem consultórios... Acho isso bastante perigoso. Tive a oportunidade de vivenciar isto quando tive o diagnóstico de esclerose múltipla. Vários profissionais de Ayurveda no Brasil não tinham a menor condição de ajudar, e sim prejudicar ainda mais.

Falo isso porque recebo vários e-mails de pessoas pedindo orientação de consultórios no Brasil, mas tenho muito cuidado em indicar, já que nem todos os profissionais praticam corretamente, estudam e vivenciam aquilo que receitam. São apenas repetidores do que leram ou ouviram falar...

Tenho presenciado isto aqui na Índia e isso me deixa bastante triste e preocupada. Uma brasileira, que mora em São Paulo, juntou-se à nós no curso. Temos estudado bastante, dedicação, comprometimento e experenciado os ensinamentos aprendidos. Diferentemente do que ela vem fazendo. Não se permite realizar as orientações ayurvédicas, cria situações constrangedoras, teoriza, critica, e não mostra nenhuma vontade ou intenção de vivenciar tudo que vem escutando.

Para mim está sendo um grande ensinamento. Paciência, silêncio e aceitação em ter que dividir e compartilhar os ensinamentos tão valiosos de uma grande mestra em Ayurveda, com alguém que se mostra indiferente. Deixando bem claro o intuito de “se dar bem”, se aproveitar e ainda, num futuro próximo, ludibriar, enganar, e vir à comprometer ainda mais a saúde das pessoas que irá “tratar”.

Paz, saúde e clareza a todos...

4 comentários:

Daiane Bortlon - Sala de Ayurveda disse...

Querida Laura, muito me inspirou este teu comentário,passei pela mesma situação a seis anos atrás, quendo estive aí em Pune estudando, acredito que com os mesmos professores. Deixo aqui minha admiração pela tua entrega ao Ayurveda. Saudades de Pune!
abraços,
muita Paz!

BIa disse...

Laura

As deidades não permitem impostores.

Deus,tudo vê.
Bj

Márcia Gomes da Silva disse...

Já conversamos muito sobre isso , seres humanos oh seres humanos...grande bj

Ju Laporta disse...

querida laura
fiquei pensando muito neste seu post.
e lembrei que outro importante aprendizado do ayurveda é se responsabilizar pela propria saude.
conhecemos várias pessoas como esta que voce fala. e tb conhecemos varias sem o menor senso critico, que seguem gurus malucos - no ano passado soubemos de um guru que mandava a pessoa beber 40L de agua num dia, ou algo semelhante. tem quem faz, e tem quem segue... o que vc acha?
beijos mil de sao paulo!