domingo, 31 de janeiro de 2010

Mumbaiii....



Desculpem a falta de posts, é que estava organizando e finalizando meus dias no hospital ayurvédico.

Tudo correu muito bem. O tratamento foi ótimo. Estou me sentindo muito, mas muito bem. Um pouco cansada, mas este é um dos principais sintomas que todos sentem, depois de 35 dias de massagens, terapias e medicamentos ayurvédicos.

Já estou em Mumbai...me situando novamente...depois de 35 dias em pleno silêncio, tranquilidade, repouso...agora muito, mas muito barulho, poluição, gente...muita gente pelas ruas...

Nos primeiros dias em Mumbai fiquei bastante confusa, tonta e exausta...a mente, o corpo esqueceram o padrão agitado do mundo aqui fora... Agora já está tudo normal.

Estou aproveitando para saborear as deliciosas refeições indianas em um ótimo restaurante do Colaba...e passear no Gate of Índia, que fica duas quadras do meu hotel...

Depois de quase 3 meses, a viagem está quase chegando ao fim...muito conhecimento, aprendizado e saúde...

Paz e saúde a todos...

sexta-feira, 22 de janeiro de 2010

Ayurveda sem mitos


Tenho recebido vários e-mails perguntando quais as orientações dos médicos ayurvédicos quanto a prática de meditação e yoga. Se há prática de yoga coletiva e qual método eles aplicam em um grande hospital ayurvédico.

Na verdade não há nenhum tipo de orientação, nenhuma prática. Ninguém fala em meditação, yoga, alinhamento de chakras, karma...nada disso é Ayurveda.
Os médicos sabem que a prática de pranayamas, yoga e meditação são excelentes para a saúde, mas estes métodos devem ser praticados com pessoas dedicadas a estes próposito. Nos verdadeiros hospitais há apenas tratamentos para tratar e previnir doenças através da realização de panchakarmas, uso de medicamentos ou outros procedimentos ayurvédicos.

Às vezes é dificil entender...a mente da maioria dos ocidentais acredita que tudo que vem do Oriente é perpassado por mitos, crenças... Rotulam tudo como alternativo e espiritual, mas o Ayurveda, como já falei muitas vezes, é um sistema médico, onde se trata doenças com medicamentos, procedimentos teraupeticos e até cirurgia.

Não há nada de rituais espirituais e religiosos. Há sim, um templo, onde todos podem orar, fazer pujas, cantar, mas sem qualquer orientação ou doutrina religiosa. Cada um com suas próprias crenças. Uma mistura de religiões, culturas...hindus, católicos, muçulmanos...todos utilizando o mesmo espaço.

Já vi no Brasil, teraupeutas ayurvédicos recomendando procedimentos para alinhar chakras, curar doenças kármicas...Aqui na Índia, nenhum lugar sério de Ayurveda que conheci nestes últimos 5 anos de viagens à Índia mencionou algo parecido... Os médicos buscam tratar o que realmente veem e entendem...Nada de anormalidades, fantasia ou super-poderes...

Paz e saúde a todos

terça-feira, 19 de janeiro de 2010

Silêncio...


Já estamos quase um mês no hospital ayurvédico e, diariamente fazemos nossas refeições na cantina. Quando chegamos, percebemos que todos os funcionários permaneceram. Nos reconheceram imediatamente, lembraram nossos nomes e até mesmo as restrições alimentares que o médico havia prescrito no ano passado.Impressionante a memória dos indianos.


Mas um fato me chamou bastante atenção: um dos funcionários, um garoto de 14 anos, que trabalha limpando as mesas, não respodia nada que perguntávamos. Percebi, ao longo das semanas, que quando os outros funcionários também falavam com ele, nada respondia. O garoto ficou mudo? sofreu algum acidente? doença grave? Pensei...

Fiquei intrigada com tal situação e resolvi perguntar ao dono da cantina o que havia acontecido...Ele ficou reticente em contar, apenas afirmou que nada aconteceu..o menino fala normalmente e não tem problemas, mas que no momento não pode falar, está em silêncio por 40 dias...

Fiz mais perguntas e ele não quis responder o motivo... No dia seguinte, o menino ficou sabendo que estava curiosa com o fato e trouxe à nossa mesa a foto Ayyappa, um deus da cultura Hindu.

Fiquei feliz em ver um menino de apenas 14 anos fazendo um sacrífio por seu deus...

Mas fiquei imaginando se isso seria possível na nossa sociedade. Já vi algumas pessoas cumprindo promessas na Igreja Católica: acendendo velas, participando de procissão, deixando de comer algo, etc... mas silêncio absoluto por 40 dias???

Talvez seja impossível...não consigo imaginar o chefe de uma grande empresa aceitar que um funcionário fique sem falar por tanto tempo... ou mesmo os familiares..o que iriam pensar?? como iriam reagir???

Diferentes culturas, diferentes costumes, novas visões, novos conhecimentos....

Paz e saúde a todos

sábado, 16 de janeiro de 2010

Maior eclipse solar do milênio - 15 de Janeiro de 2010


Ontem, dia 15 de janeiro, tivemos aqui na Índia o mais longo eclipse solar do milênio. O sul da Índia foi um dos melhores lugares para se observar o fenômeno. A África central, China, Ilhas Maldivas e Bangladesh também presenciaram o eclipse anular.

O eclipse começou as 11h da manhã e terminou aproximandemente as 14:30min. Em algumas cidades o eclipse foi total e em outras cidades parcial. Aqui estava bastante nublado, o que dificultou a observação.

Aqui no hospital, ninguém teve permissão para observar...os próprios funcionários, médicos, enfermeiras seguiram as orientações milenares.


Quando ocorrem eclipses solares, diz a tradição védica que ninguém deve expor-se ao fenômeno, olhar na direção do sol. Todos devem ficar protegidos, dentro de casa, não deve-se comer, beber, ligar computadores, assistir Tv, trabalhar, etc.

Não tivemos nenhum tratamento das 10h as 15h. Tudo parou. Não havia movimento nas ruas, barulho...nada. Todos os pacientes foram orientados a ficar em seus quartos, e não realizar nenhum tipo de atividade.


Hoje, os jornais exibem as fotos do eclipse em diversas partes da Índia. Comentários, discussões e análises sobre o fenômeno e sobre o comportamento das pessoas e dos animais durante o eclipse.


A ciência moderna não vê qualquer relação ou influência negativa que este tipo de fenômeno possa causar nos seres vivos. Em Trivandum, capital do estado do Kerala, e em outras cidades, uma organização científica reuniu estudantes, professores para que todos pudessem observar o eclipse, assim como é feito em todo Ocidente.

Mas estes encontros não foram bem vistos pela comunidade em geral. Sabem que realmente há uma influência e modificação dos estados biológicos no corpo dos seres vivos. Os animais, como diz em uma das reportagens, ficaram bastante confusos durante o período do eclipse. Pássaros estavam desorientados, cães sonolentos e sem fome, cobras se refugiaram...vários animais foram observados e alguns tiveram comportamentos noturnos logo que começou a escurecer.

Para a mente científica ocidental tudo parece estranho, confuso... Mas mesmo assim, a grande maioria dos pacientes respeitou as orientações da equipe médica no hospital...

Paz e saúde a todos

quinta-feira, 14 de janeiro de 2010

Refeições indianas




Uma das melhores e mais surpreendentes experiências aqui na Índia é a comida. Não há como sair daqui sem vivenciar saborosas e apimentadas refeições.

Para quem não tem o hábito de consumir pimenta as primeiras refeições são difícieis. Mas, analisando o hábito e o prato dos indianos é possível perceber que há maneiras de amenizar o sabor excessivamente picante de muitas refeições.

A diversidade é uma característica marcante na geografia, cultura e culinária indiana. As refeições, bebidas, frutas e legumes variam conforme a região, refletindo a demografia variada e diversidade étnica do subcontinente. Apesar da diversidade, um ponto é unânime: o uso de especiarias que combinadas criam pratos com sabores e aromas fantásticos.

Apesar da maioria das refeições indiana ser vegetariana, existem muitas opções tradicionais que incluem frango, peixe, cordeiro e outras carnes.

Aqui no hospital a dieta tem algumas restrições. Há sempre um Thali para pacientes, outros dois tipos de thali e um cardápio variado de snacks e outras deliciosas comidas apenas para os acompanhantes (apesar que muitos pacientes fogem da dieta).

O thali de pacientes não possui nenhuma pimenta, já que durante o panchakarma não é permitida a sua utilização. Especiarias como cravo, gengibre, mostarda, açafrão fazem parte das preparações que muitas vezes estão bem picantes... Os indianos reclamam bastante, já que estão acostumados com muita pimenta. Os ocidentais adoram, podemos desfrutar da comida indiana saudável e sem pimentas...

Não tenho muitas restrições alimentrares desta vez, e estou aproveitando para experimentar vários pratos indianos. Mesmo sendo receitas tradicionais encontradas nos diversos restaurantes, aqui na cantina, são feitos com pouquíssimo óleo e sem chillies.

Coloquei algumas fotos de algumas refeições: No café da manhã - um delicioso idli com shambar e chutney (bolinho feito de arroz fermentado com dhal).

No almoço - thali de paciente e no jantar: Plain dosa ("panqueca" de farinha de grão de bico e arroz fermentado).

Paz e saúde a todos

terça-feira, 12 de janeiro de 2010

Astanga Yoga em Teresópolis


Gostaria de lembrá-los que faltam poucos dias para o Retiro de Astanga Vinyasa Yoga com meu grande amigo Diego Koury.

Há poucas vagas disponíveis... Se você nunca praticou, tem prática regular ou já é professor deve aproveitar esta oportunidade de começar bem o ano de 2010.

Informações e inscrições através do telefone (21) 94647845.

Paz e saúde a todos

sexta-feira, 8 de janeiro de 2010

Benefícios ayurvédicos

Minha rotina no hospital está muito tranquila. Tenho aproveitado para estudar, e também desfrutar do belo jardim que há no hospital. Nele, os pacientes e acompanhantes caminham, relaxam, fazem exercícios, meditam e conversam.

Os horários para utilização do jardim são bastante restritos. Durante o panchakarma, ninguém deve expor-se ao sol, ao vento, ao barulho e agitação. Somente entre 6:30 e 9h da manhã ou no final da tarde, entre 17h30 e 20h é permitida a entrada...O descumprimento das "regras" pode comprometer o resultado final do tratamento ou ainda prejudicar ainda mais a saúde.
Depois da minha caminhada diária no jardim, aproveito para conversar com pacientes e "matar" minha curiosidade. Descobrir suas doenças, os tratamentos que estão sendo realizados, os medicamentos prescritos e a evolução ou piora de cada um.

Há diversos tipos de pacientes, mas este ano em especial, o número de crianças e adolescentes com problemas neuro-motores é enorme. Ontem, conversei com a mãe de uma menina de apenas 6 anos, Bindu. A garota nasceu com problemas neurológicos que afetam a fala, os movimentos da face e das mãos.

Este é o segundo tratamento ayurvédico que a menina realiza, e depois de 20 dias, começou a pronunciar alguns sons. A mãe está radiante e confiante, mas disse que pensou em desistir do tratamento. Tiveram um ano bastante difícil, Bindu piorou bastante durante e depois do primeiro tratamento e só começou a melhorar após 4 meses. Tomou remédicos ayurvédicos por 8 meses e retornou ao hospital.
O Ayurveda é lento e profundo. As mudanças ocorrem aos poucos e muitas vezes, certos agravamentos são aceitáveis e previsíveis, por isso a importância de bons e experientes profissionais acompanhando cada caso.

Fiquei ainda mais curiosa...um intenso panchakarma de 28 dias em uma pequena e frágil menina. Achei que fosse difícil aplicar massagens, shirodhara por 1 hora, nasya, basti, etc... Resolvi conversar com as enfermeiras, para ter mais informações e...

Para minha surpresa a menina está adorando. Fica ansiosa pela hora de começar as terapias. Gosta de sentir e ver o óleo "caindo" em sua testa. As vezes chora, fica irritada e sente desconforto...Mas vê tudo como uma brincadeira...e não imagina o quanto e importante é e será para sua vida e sua saúde cada procedimento e extremo cuidado que médicos e enfermeiras estão tendo com ela.

Paz e saúde a todos...

quarta-feira, 6 de janeiro de 2010

Quando esquecemos nossas reais necessidades - Parte II


Resolvi falar sobre as urgências naturais, pois esta é uma grande preocupação e recomendação dos médicos ayurvédicos. Muitas doenças podem ser evitadas ou aliviadas pelo simples fato de respeitarmos as necessidades do corpo.

Quando negligenciamos por "falta de tempo", por vergonha de usar o banheiro da casa de pessoas desconhecidas ou simplesmente solicitar um copo d'agua quando estamos com sede...nosso corpo "dá um jeito". Sobrecarrega, paralisa algumas funções para suportar os hábitos.

O Ayurveda lista uma série de problemas que podem ter origem por reprimirmos as urgências naturais. Vou listar aqui os sintomas mais comuns que surgem com a manutenção de hábitos incorretos. Caso não seja restabelecida as funções mesmo já sentindo alguns destes desconfortos o surgimento de doenças mais sérias é o próximo passo.

Urina: dores para urinar, inchaço na virilha, dor na região peniana, dor de cabeça.

Fezes: dores abdominais, dor de cabeça, flatulência, dores para evacuar, cãibras e rigidez na panturrilha.

Flatulência: diminuição dos movimentos peristálticos, da urina e das fezes. Distenção abdominal, fraqueza, cãibras, tontura, dores no peito e no abdomen.

Vômito: coceira, erupções ou vermelhidão na pele, inchaços pelo corpo, febre, naúsea.

Sede: secura na boca e garganta, surdez, fraqueza, dor na região coronariana.

Lágrimas: coriza, doenças nos olhos e no coração, repugnância e aversão.

Paz e muita saúde...

segunda-feira, 4 de janeiro de 2010

Quando esquecemos nossas reais necessidades...


“Doenças da modernidade”, “Doenças do estresse” estes termos são frequentemente utilizados, quando citadas algumas doenças que vem aparececendo na vida de muitas pessoas. Comparando com o passado, a rotina diária da maioria das pessoas tornou-se mais estressante, com mais atividades, mais responsabilidades e medos.

Hoje há uma busca incessante por dinheiro, poder, melhor posição nas empresas, exigências econômicas, educacionais e profissionais. Todas, superiores à real capacidade humana de suportar tanta pressão. A saúde fica em segundo, terceiro plano. Excesso de competição e desafio cria estresse. Estresse causa desalinhamentos no corpo e na mente e consequentemente doenças.


Sedentarismo, excesso de comida, hábitos alimentares compromotedores (fast food, uso de microondas, comida congelada, excesso de carnes, etc), excesso de horas de trabalho, ar condicionado por muitas horas... todos responsáveis pelo agravamento ou manifestação de doenças como diabetes miellitus, hipertensão, infarto, obesidade, disfunções hormonais, etc...

Debilidades que podem ser previnidas, evitadas, modificando os hábitos de vida, tendo conciência de que cada atitude diária irá definir o futuro, a saúde, a qualidade de vida. Nosso corpo é como uma máquina. Esta programado para trabalhar de uma certa e correta maneira. Todas as funções orgânicas estao correlacionadas. Cada excesso ou deficiência pode vir a comprometer um orgão ou função.


Os processos orgânicos são definidos, induzidos, modificados, processados, por tudo o que ingerimos, sentimos, realizamos: comida, água, pensamentos, emoções, sono, etc. E cada um gera uma série de urgências naturais: fome, sede, urina, fezes, secreções, vômito, ... Quando orgãos trabalham corretamente as urgências se manifestam e devem ser prontamente atendidas...

O Ayurveda se preocupa em 1º lugar com a prevenção e portanto atender as urgências naturais do corpo é um dos principais hábitos que temos que ter para manter o corpo saudável e livre das doenças.

Nossa sociedade movimenta-se rápido, sempre ocupada, ligada...computadores sempre ligados, internet veloz, blackberry, celular...todos ligados e conectados ao mundo externo 24horas do dia... O “mundo” define que não podemos parar. Nada de parar para atender o corpo...ir ao banheiro, beber água, comer...suprir as necessidades reais do corpo...

E conter as urgências naturais, gera desde simples dores até problemas irreversíveis na saúde... e estes falarei com mais detalhes no próximo post...

Paz e saúde a todos

sexta-feira, 1 de janeiro de 2010

Feliz 2010









Esta é a época da renovação, que nos traz a oportunidade de revermos nossos sonhos, desejos, aspirações. De analisarmos nosso passado, nossas condutas, nossos pensamentos e nossas atitudes. É época de afirmar e definir as estratégias para realizar nossos objetivos.

É época de visualizarmos com força as mudanças positivas que desejamos implementar em nossa vida e ver manifestadas, transformando nossas vidas e do mundo ao nosso redor.

Os pensamentos, os desejos, as aspirações que criamos, que fazemos em nossa mente criam nosso destino e afetam a vida dos que nos cercam. É época de optar conscientemente por pensamentos positivos, afirmar e definir nosso caminho.
Resistências, obstáculos, indefinições, problemas...muitos surgirão. Para todos nós..tudo parte da existência, da realidade, da impermanência, da vida...
Mais um ano, para crescer, aprender, mudar, transformar, tropeçar, levantar e viver....

Desejo um 2010 de muita saúde e paz para todos nós....

-------------------------
Aqui na Índia não há comemoração de Ano Novo, mas o pessoal da cantina do Hospital resolver fazer uma "festinha" para os pacientes. Enfeiteram o local com balões e preparam um delicioso buffet com muita comida indiana. Coloquei as fotos para vocês verem.

A festa, é claro, acabou as 21h, pois as 22h todos já deveriam estar em seus quartos para que hoje pudéssemos acordar cedo e seguir nossos tratamentos.