terça-feira, 13 de dezembro de 2011

Encontros abençoados

A administração do hospital me informou que hoje a tarde conseguirei um quarto!!!!

O hospital está repleto de pessoas conhecidas... como tenho feito todas as refeições na cantina tenho encontrado muitos pacientes antigos... das outras vezes que vim para o hospital foi também no mês de dezembro, então, todos se reencontram...

Com cumprimentos tímidos, risadas, sorrisos, todos se olham e felicitam por se reencontrarem...

Todos muito surpresos e felizes com minha situação atual de saúde... me enchem de perguntas, querem saber detalhes... Durante as refeições, todos aproveitam para perguntar detalhes do tratamento de cada um, progressos, remédios...enfim todos curiosos com a historia dos outros, pois de alguma forma, todos que se reencontram há alguns anos sabem o cada um vem passando...

Resolvi não entrar em detalhes sobre minha vinda sozinha, apesar das incessantes perguntas... Os funcionários do hospital, principalmente, ficam o tempo todo: "cadê seu marido?", " você veio mesmo sozinha?" ...talvez não seja bem compreendida por todos, por questões culturais... então é melhor não comentar nada.. apenas meus amigos queridos Joachim e Traude, um casal de austríacos que também encontrei nas duas ultimas estadas, e que fizemos grande amizade, sabem do meu divorcio. O restante me limito a dizer que vim sozinha desta vez, e que Marcus está bem (e espero que sim).

Ontem, aproveitamos a linda noite de lua cheia, após o jantar, para visitar o templo de Krishna e desfrutar do silencio das ruas, conversar um pouco e celebrar nosso reencontro... tomamos um saboroso masala chai na nova Bakery da cidade.

Eu e Traude éramos as únicas mulheres na rua. Após as 19h, pelo menos aqui, é impossível ver uma mulher na rua... dezenas de homens sentados na calçada, conversando, fumando, tomando café e dando risadas...

Os olhares são inevitáveis... por volta das 20h, nos despedimos e eles foram dormir, pois cedinho tinham a visita do médicos e depois tratamento.

Eu, ainda fui para o templo e fiquei contemplando a noite por mais algum tempo...

Queria curtir a brisa mais fresca da noite... contemplar as lamparinas acesas, ver cada paciente entrar com muita devoção, rezar...

Quando de repente meu antigo médico passou. Ele imediatamente me reconheceu e parou na minha frente.

Fiquei muito feliz!!!

Já tinha recebido a noticia na administração que ele não seria meu medico desta vez, pois tinha trocado de prédio e estava atendendo aos pacientes do novo, moderno e caro anexo!!! Caso quisesse continuar com ele, poderia começar o tratamento na hora, pois lá há vagas disponíveis.. Mas falei que não poderia pagar e preferiria esperar... enfim...

Simpático, ele perguntou como estava e quando tinha chegado... lembrava com detalhes o meu histórico!!! Isso que é memoria!!! Neste quesito, memória, os indianos são imbatíveis!!!!

Contei que estava ótima, e mesmo ele tendo dito no último e-mail que não precisa retornar, eu voltei para um check -up e descansar a mente e o corpo...e ele com um sorriso no rosto falou: “ Amanhã , quando souberes o numero do seu quarto e o prédio que ficarás vá até o novo prédio e me procure, vou cuidar de você também. Fique a vontade para qualquer problema, dúvida... Nale Kanam (até amanha) .

Agachei-me diante dele e com um largo sorriso no rosto agradeci...

Fiquei radiante!!! Ele é considerado um dos melhores e mais experientes médicos, faz parte de uma família tradicional de vaidyas, mas sempre foi muito fechado e de poucas palavras... sempre que fazia muitas perguntas a respeito dos tratamentos e remédios ele não respondia nada... mas algo aparentemente mudou..

Um mix de felicidade, saudade, entrega...

Em poucos dias neste local abençoado, e muitas revelações, encontros, ensinamentos...


5 comentários:

* disse...

Mas é tudo mágico assim mesmo? Ou apenas um lugar com pessoas miseráveis, água e comida contaminadas? Você evitou comer no hotel, por exemplo. Não seria somente um lugar com ritmo de vida mais lento, sei lá, como Salvador? Pelo que você descreveu ao menos o clima deve ser parecido. Eu também busco equilíbrio e paz interior, mas isso não está dentro de cada um de nós? Que essa Índia que você vê esteja cada vez mais com você.

Anônimo disse...

LAURA,fiquei tão feliz que estou chorando.
Querida você merece.
Deve ter sido um encontro iluminado pela sua fé ,garra,etc.
Você não está sozinha ,tenho certeza que além de Deus ,todos que a amam estão com o pensamento em você este retorno a Índia.
Beijos e carinho
Sheila

Anônimo disse...

Laura, estou daqui torcendo genuinamente por esse seu momento espiritual, emocional e físico.
A Índia deve ser mesmo um lugar mágico... Eu imagino que deve ser difícil estar aí sem se transformar... Eu também desejo um dia ter o privilégio de colocar meus pés em terras indianas e me permitir transformar, reconectar, reencontrar, recarregar...
Eu imagino que esse seu retorno aí deve ter um sabor muito especial, emocionante, com gosto de superação, de saudades, de acolhimento, de refazimento...
O seu relato é muito emocionante...
A sua vida é por si só uma inspiração para todos.
Um beijo grande no seu coração!
Krika.

Cris Tarcia disse...

Laura, estou acompanhando os seus textos, e adorando, é um momento muito especial,

Namastê

Anônimo disse...

lauraaa, que bom que vc está escrevendo estas coisas lindas sempre! da pra matar um pouco a saudade!

beijooos,

rapha